Botafogo x Vasco

O Vasco dominou o primeiro tempo, mas não brilhou na segunda etapa (RAFAEL RIBEIRO/VASCO)

Felippe Rocha
23/02/2019
22:11
Rio de Janeiro

Alberto Valentim escalou um Vasco de um jeito e deu certo. Precisou fazer uma mudança forçada e, de início, a equipe continuou se portando bem. Já no segundo tempo, a equipe cruz-maltina não conseguiu aparecer tanto no ataque e ameaçar o goleiro do Botafogo. Confira cinco pontos de destaque da atuação do time visitante deste sábado.

Troca de pontas

Botafogo x Vasco Gol Yago Pikachu
Pikachu foi oportunista no lance do gol (RAFAEL RIBEIRO/VASCO)

A opção por Rossi no time titular fez Alberto Valentim deslocar Yago Pikachu para o lado esquerdo - o que, em tese, não é o favorito do também lateral-direito. Se não foram brilhantes na construção de jogadas, o gol saiu com cruzamento de Cáceres para Pikachu. Da direta para a esquerda, portanto.

Cáceres

Raul Cáceres - Vasco
Cáceres esteve irregular (Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

Por sinal, o cruzamento do lateral paraguaio foi de almanaque, mas ele bobeou em dois momentos que acabaram resultando em grande perigo para o gol defendido por Fernando Miguel. Os dois momentos após viradas de jogo. Na recomposição, fechou bem a linha de quatro.

Os volantes

Vasco x Resende Lucas Mineiro
Lucas Mineiro já teve dias melhores (Reginaldo Pimenta / Raw Image)

A marcação à frente da área foi inconstante ao longo da partida. A dupla formada por Raul e Lucas Mineiro está entrosada, mas Andrey precisou substituir o primeiro, e não vive grande momento técnico. O resultado foi o setor ter dado o tom do ritmo irregular da equipe cruz-maltina.

Recomposição

Botafogo x Vasco Maxi Lopez
Maxi não acompanha, e não é de hoje (Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)

Foi possível flagrar em não poucas vezes, no início do segundo tempo, um número menor do que era necessário atrás da linha da bola. Pouco antes do gol botafoguense, por exemplo, Maxi López era o jogador mais avançado, Bruno César já não conseguia acompanhar e um dos pontas também não se unia aos demais marcadores.

Sumiu

Botafogo x Vasco
Rossi não foi bem no segundo tempo (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

No segundo tempo, o time da casa precisava atacar, mas o fazia sem organização. O gol sofrido por Fernando Miguel contou um bocado com a sorte, mas a equipe de Alberto Valentim foi incapaz de ser criativa no decorrer da etapa. Restaram os contra-ataques, e poucas chances claras. Foi outro time em relação ao primeiro tempo.