Andrés Sanchez

Andrés alega não ter sido convocado para a reunião virtual do CORI (Foto: Peter Leone/O Fotográfico/Lancepress!)

Alexandre Guariglia
15/07/2020
17:33
São Paulo (SP)

O dia a dia do Corinthians parece não ter paz, principalmente nos bastidores. Isso porque nesta quarta-feira Andrés Sanchez entrou com um requerimento para tentar anular a reunião do Conselho de Orientação do clube, que emitiu parecer de reprovação para as contas do clube no exercício de 2019. A informação é do GloboEsporte.com e foi confirmada pelo LANCE!.

No documento, ao qual o GE teve acesso, o presidente do Timão contesta o encontro virtual ocorrido na última segunda-feira à noite, uma vez que alega não ter sido convocado, como prevê o estatuto do clube. Além disso, ele diz que a reunião foi marcada com o objetivo de analisar o balanço do ano passado, e não para votação e a consequente emissão do parecer.

O interesse de Andrés no resultado da votação não se dá pelo efeito prático ele pode dar, mas sim pela influência que isso pode ter no momento em que as contas forem apreciadas pelo Conselho Deliberativo (provavelmente no fim deste mês). Caso elas sejam reprovadas por esse órgão, há a possibilidade de ser encaminhado o processo de impeachment do presidente corintiano.

Em entrevista ao "Blog do PVC", no início deste ano, Andrés disse que se as contas de 2019 fossem reprovadas no Conselho Deliberativo, ele anteciparia as eleições do clube, que estão previstas para o fim de novembro. Porém, para o mesmo blog, nesta quinta-feira, ele mudou o tom e afirmou que a antecipação deveria ser feita pelo conselheiros. Vale lembrar que ele não pode se reeleger.

Antes da reprovação pelo Conselho de Orientação, as contas já haviam sido reprovadas pelo Conselho Fiscal, que apontou que o déficit de R$ 177 milhões divulgado no balanço era R$ 18,4 milhões maior, já que pendências judiciais não haviam sido incluídas no documento. A dívida total do clube assumida até o fim de 2019 ficou em R$ 665 milhões, sem contar a Arena Corinthians.