Coaracy Nunes

Coaracy Nunes preside a CBDA desde 1988 e é um dos 'alvos' do MPF (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

Felipe Domingues e Igor Siqueira
14/03/2016
15:22
São Paulo (SP)

Após o "enquadramento" do Ministério Público Federal (MPF) à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) na última segunda-feira, uma das primeiras recomendações do órgão à entidade não foi cumprida. A Assembleia Geral, programada para acontecer nessa segunda-feira, que havia sido desaconselhada pelo MPF, ocorreu normalmente.

Na última semana, o órgão público enviou à entidade esportiva um documento contendo uma série de recomendações que, de acordo com o MPF, deveriam ser cumpridas em um prazo de 30 dias, passivo de uma suspensão nos repasses do Ministério do Esporte à CBDA. Um dos primeiros itens continha a recomendação de que a reunião fosse cancelada. 

No encontro, inclusive, as contas da CBDA foram aprovadas pelas Federações presentes, por 20 votos a 7. As entidades contrárias à aprovação foram as de: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso, Rondônia, Pernambuco e Acre.

Segundo o LANCE! apurou com a assessoria de imprensa da CBDA, a entidade já encaminhou uma resposta a todos os questionamentos feitos pelo Ministério Público na última sexta-feira, porém, não recebeu confirmação se o órgão já havia tomado ciência do documento.

Por tal motivo, realizou a assembleia normalmente. Caso o MPF acuse recebimento e envie uma resposta à Confederação, a entidade irá analisar se convoca uma reunião extraordinária entre as federações.