LANCE!
03/10/2016
11:41
Rio de Janeiro (RJ)

As mudanças anunciadas pela Conmebol para a Copa Libertadores respingaram na Sul-Americana. Se o Brasil, com aumento de participantes na primeira, ganhou mais duas vagas, o país perdeu dois lugares diretos na segunda. Agora, os clubes brasileiros vão disputar seis vagas na Sul-Americana. Mas como 10 times eliminados precocemente da Libertadores também entrarão na competição, é possível haver mais brazucas na disputa.

Uma outra novidade é a ampliação do calendário da Sul-Americana, que também será anual - a exemplo da "irmã mais velha" -, indo de março a dezembro.

Se a Libertadores terá 44 participantes, a Sul-Americana passará a ter 54, já levando em conta os 10 que virão da Liberta. Classificados diretamente serão 44 times. com oito países tendo direito a quatro vagas. Brasil e Argentina classificam seis cada um. Mexicanos não participam dessa distribuição.

Ou seja, o Brasil terá, ao todo, 13 vagas diretas para as competições sul-americanas. Além disso, o país pode ter mais representantes se algum time vencer a Libertadores e a própria Sul-Americana, já que a conquista delas não reduzirá o espaço já fixado para o país.

O critério para apontar os 10 que virão da Libertadores para a Sul-Americana será: oito melhores terceiros da fase de grupos e dois melhores da fase pré-classificatória.

Ao todo, a Conmebol envolverá três times a mais em 2017 do que em 2016. Sobre as vagas na Liberta, a CBF já avisou que haverá G6 no Brasileirão. Sobre a Sul-Americana, pelo menos para o ano que vem, estão garantidos os campeões da Copa do Nordeste e Copa Verde. Quatro vagas sobram para serem distribuídas na Série A.