Russel Dias
26/11/2015
00:02
Santos (SP)

A noite desta quarta-feira tinha tudo para ser marcante de forma negativa na vida de Gabigol. Logo aos 2 minutos da primeira etapa, o Santos teve um pênalti polêmico marcado a seu favor, na Vila Belmiro, para sair na frente na final da Copa do Brasil que será decidida na semana que vem, na casa dos palestrinos. Ao desafiar o goleiro Fernando Prass e acertar a trave, o camisa 10 de 19 anos já podia pensar em esquecer a noite do dia 25 de novembro de 2015. Mas lembrará para sempre do Santos 1 x 0 Palmeiras, na Vila Belmiro. E o reserva Nilson também lembrará, mas por motivo oposto....


Gabigol persistiu, levou pancada, gritou, e chutou. Fez de tudo, até conseguir entrar na área aos 33 minutos da segunda etapa, aplicar um drible em Amaral e estufar as redes do gol do placar de Urbano Caldeira. Já nos acréscimos, para ser mais exato no último lance da partida, Nilson teve a chance de ampliar a vantagem, mas, sem goleiro, chutou a bola para fora. 
Mas antes, a tensão dominou o jogo de ida da final da Copa do Brasil. O Santos tomou conta da partida contra um Palmeiras que não tinha estratégia ou proposta, a não ser retardar a velocidade santista para tentar decidir o título em casa.  

Fernando Prass, até o gol do Peixe, era o herói da partida por ter defendido duas chances preciosas do Alvinegro: um duelo cara a cara com Ricardo Oliveira e um chute à queima roupa do próprio Gabriel.

Copa do Brasil - Santos x Palmeiras (foto:Ari Ferreira/LANCE!Press)
Jogo foi muito pegado na Vila Belmiro (foto:Ari Ferreira/LANCE!Press)


Victor Ferraz e Lucas Lima cansaram de achar espaços na defesa alviverde, mas o problema era Prass. 

A única grande chance do Verdão foi com o zagueiro Jackson, que na pequena área cabeceou fora. Porém, a equipe reclamou bastante de um pênalti não dado de David Braz em Barrios, quando o jogo estava 0 a 0. 


Antes de sair o gol santista ocorreu outra situação curiosa. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira sentiu lesão e foi substituído por Marcelo Aparecido de Souza aos 22 minutos da segunda etapa. 

O Alvinegro, que já não marcava há três jogos, desde a vitória sobre o próprio Palmeiras no Brasileiro, sentiu alívio, mas não diminuiu a atenção na defesa e no ataque. 

O Santos respira aliviado, mas não esquece que poderia ter saído de casa com um resultado muito melhor.Na próxima quarta-feira, no Allianz Parque, o Verdão precisará fazer dois gols de diferença para ficar com o título no tempo normal. Caso o time da case triunfe por um gol, a definição do título será nos pênaltis. O Peixe jogará pelo empate. Vem mais 90 tensos minutos.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 25/11/15, às 22h
Público/renda: 14.116 pagantes / R$ 1.631.560,00
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP) - Sentiu-se mal e foi substituído por Marcelo Aparecido de Souza, o 4º árbitro, aos 22 minutos do 2º tempo
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)

Cartões amarelos: Renato, Ricardo Oliveira, Gabriel e Victor Ferraz (SAN); Fernando Prass, Matheus Sales, Lucas Barrios, Arouca, Lucas e Dudu (PAL)
Cartões vermelhos: Lucas (PAL)
Gol: Gabriel, 33'/2ºT (1-0)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Nilson, 47'/2ºT), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Geuvânio, 19'/2ºT), Gabriel (Neto Berola, 38'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Vitor Hugo, Jackson e Zé Roberto; Matheus Sales (Amaral, intervalo), Arouca e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus (Kelvin, 12'/1ºT) e Lucas Barrios (Rafael Marques, 19'/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira