Fernando Diniz - Oeste x Vasco

Fernando Diniz faz uma boa temporada em 2016 (Foto: Miguel Schincariol/Lancepress!)

RADAR/LANCE!
06/06/2016
18:30
Rio de Janeiro (RJ)

O Flamengo segue com Zé Ricardo no comando interino. Desde a saída de Muricy Ramalho, por problemas de saúde, muitos nomes já foram especulados como o próximo comandante rubro-negro. A bola da vez seria Fernando Diniz, vice-campeão paulista e que dirige o Oeste/Audax.

A informação, trazida pelo colunista João Carlos Assumpção, dá conta que o Flamengo estaria cogitando a possibilidade de fazer uma proposta pelo treinador. Outra possibilidade seria um investimento em um nome estrangeiro para assumir o comando. Qual seria o melhor cenário? Valeria uma aposta deste calibre no atual momento da temporada?

Os editores Rafael Bullara, Thiago Salata e Aigor Ojêda analisaram as possibilidade que podem chegar ao Flamengo.

THIAGO SALATA
​Sem dúvidas, Fernando Diniz já merece uma chance em um clube mais expressivo. Dar um passo tão largo assim logo para o Flamengo, que sofre para manter um treinadores, é um risco para ambos os lados. O treinador não vai colocar suas ideias de futebol para funcionar da noite para o dia e terá de ter muito respaldo da diretoria para isso. Será o caso do Flamengo? Não me parece diante do passado recente.

Só vale a tentativa se o clube encarar as turbulências e não sucumbir a pressões nos primeiros tropeços, que inevitavelmente vão acontecer. A mesma lógica vale para um treinador estrangeiro, que vai precisar de tempo para se ambientar à cultura do clube e do Brasil.

RAFAEL BULLARA
Para contratar Fernando Diniz é preciso ter paciência para ele implantar o esquema de jogo dele, o que não tem sido a tônica do Flamengo nesta gestão. O problema de algum estrangeiro é a mesma paciência, ainda mais no meio da temporada.

​AIGOR OJÊDA
​A convicção da diretoria é muito importante na hora da escolha de um treinador. Assim, apostar no trabalho do Fernando Diniz ou de qualquer outro comandante estrangeiro, é entender que o profissional irá necessitar de um prazo para desenvolver seus métodos. O Flamengo está disposto a ceder esse tempo? A montagem de uma comissão técnica passa por essa questão central.

Nos últimos anos, o clube foi na contramão disto: soma nove técnicos desde 2013. Na minha opinião, é válida a aposta no Zé Ricardo, pois já conhece o ambiente e pode realizar um bom trabalho à beira do gramado.