LANCE!
24/11/2016
19:29
São Paulo (SP)

Por meio de nota oficial publicada no fim da tarde desta quinta-feira, o Corinthians bateu duro na construtora Odebrecht, responsável pela obra da Arena Corinthians, estádio inaugurado em maio de 2014 para a Copa do Mundo e que já foi utilizado em 86 partidas oficiais do Timão até o momento.

O comunicado assinado pelo presidente Roberto de Andrade sugere que a Odebrecht tem omitido informações que podem ajudar na auditoria das obras e até mesmo realizado reparos complementares no estádio. A nota do Timão foi em resposta à uma manifestação da própria Odebrecht sobre um procedimento que foi realizado entre os dias 18 e 23, data da interrupção a pedido do clube.

Segundo a Odebrecht, há uma deposição de lama no interior do reservatório de amortecimento de água de chuvas, conhecido como "piscinão", proveniente da rede de escoamento de águas pluviais. O fato foi notado pela construtora e relatados ao Corinthians, que seria responsável pela manutenção. "A construtora, ao identificar o ocorrido, mesmo não sendo responsável pelo fato, tomou, por precaução, providências para remover o material acumulado no piscinão e recompor a rede de escoamento", diz a nota, que coloca Corinthians e o Escritório Molina & Reis como responsáveis pelo risco da interrupção do reparo.

Pouco depois, o Corinthians se posicionou sobre o tema. "O Sport Club Corinthians Paulista não pode permitir que, após as declarações do funcionário e engenheiro da Odebrecht, Ricardo Corregio (...) que a obra "está concluída" (sem a concordância/aceite do clube) (...) venha a fazer "reparos", que, na realidade, parecem verdadeiras obras, mais precisamente desde o último final de semana, sem que cumpra regras básicas, sob pena de comprometer a referida auditoria que está sendo realizada, bem como impedir que o clube tenha real conhecimento do que efetivamente "é" a obra da Arena Corinthians", escreve o mandatário do clube, que ainda cita um caso específico de obra extra que está sendo realizada pela Odebrecht sem anuência do Timão.

"Engenheiros da Odebrecht nos enviaram e-mail afirmando que estariam fazendo "visitas" nas redes de drenagem e, posteriormente, foi constatado que, na realidade, trata-se de uma "obra" bem significativa, com concretagem de mais de 1,5m de altura, o que confirma a necessidade de regras a serem seguidas", continua relatando a nota oficial do Corinthians.

O Corinthians contratou uma auditoria independente para cobrar a realização de obras que não foram feitas pela Odebrecht ou mesmo abater o valor da dívida com a construtora, já que o estádio foi entregue com diversos aspectos diferentes em relação ao projeto original. O clube não considera a obra entregue justamente porque ainda não há o resultado da auditoria disponível. O levantamento de dados, inclusive, já concluiu que há "fatos graves" e verba desviada mesmo sem o anúncio da auditoria.

"O Sport Club Corinthians Paulista, independente das pessoas que o dirijam, a qualquer época, deve ser preservado como instituição, assim como seu torcedor e público na Arena, sendo exatamente este o motivo da exigência de se cumprir as etapas que devem ser seguidas para tais intervenções. A ausência de respeito a isto pode nos dar a entender que algo possa estar sendo omitido pela equipe da construtora e, que poderia vir a prejudicar os levantamentos da auditoria da obra e ao próprio conhecimento do clube a respeito de fatos relevantes quanto ao estádio", encerra o presidente do Corinthians.

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA OFICIAL DA ODEBRECHT:

"A Construtora Norberto Odebrecht esclarece que identificou na última sexta-feira (dia 18/11), uma deposição de lama no interior do reservatório de amortecimento de água de chuvas, conhecido como “piscinão”, proveniente da rede de escoamento de águas pluviais. O fato constatado pelos técnicos da CNO e relatados ao Clube mostra que a deposição não é um fato recente e deveria ter sido sanado pelo serviço de manutenção, pois o mesmo já havia sido anteriormente identificado pela própria auditoria contratada pelo Clube.

A Construtora, ao identificar o ocorrido, mesmo não sendo responsável pelo fato, tomou, por precaução, providências para remover o material acumulado no piscinão e recompor a rede de escoamento, trabalho iniciado no início desta semana e, no dia 23/12, interrompido por determinação e risco do Sport Club Corinthians Paulista e do Escritório Molina &Reis. A CNO já oficializou ao Clube que, embora hoje a ocorrência não comprometa a segurança da estrutura do estádio, lembrando que o mesmo foi recentemente vistoriado por autoridades públicas, a conclusão dos trabalhos iniciados é necessária.

Por fim, a CNO também esclarece que em 2015 entregou ao Clube o Manual de Manutenção da Arena, no qual são detalhados os procedimentos que lhe cabem para a correta operação e conservação do estádio. É preciso ficar claro que gestão da manutenção da Arena é de responsabilidade do Corinthians".


VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA OFICIAL DO CORINTHIANS:

"O Sport Club Corinthians Paulista não pode permitir que, após as declarações do funcionário e engenheiro da Odebrecht, Ricardo Corregio, na própria mídia e por e-mail ao Clube, afirmando, que a obra "está concluída" (sem a concordância/aceite do Clube), que não há riscos ao público e que não entregará mais documentos/Contratos com Terceiros para a auditoria da obra, dentre outras, venha a fazer "reparos", que, na realidade, parecem verdadeiras obras, mais precisamente desde o último final de semana, sem que cumpra regras básicas, sob pena de comprometer a referida auditoria que está sendo realizada, bem como impedir que o Clube tenha real conhecimento do que efetivamente "é" a obra da Arena Corinthians.

O que fiz, na qualidade de Presidente do Clube, foi disciplinar trabalhos que estavam sendo realizados pela construtora, mesmo após determinação desta Presidência quanto às regras e cautelas necessárias, sendo algumas: apresentação da causa, local exato, empresa que trabalhará, projeto e registros necessários (ART/CREA/Prefeitura/...), quando for o caso, além dos efeitos da não realização dos trabalhos em questão.

Engenheiros da CNO nos enviaram e-mail afirmando que estariam fazendo "visitas" nas redes de drenagem e, posteriormente, foi constatado que, na realidade, trata-se de uma "obra" bem significativa, com concretagem de mais de 1,5m de altura, o que confirma a necessidade de regras a serem seguidas.

O Sport Club Corinthians Paulista, independente das pessoas que o dirijam, a qualquer época, deve ser preservado como instituição, assim como seu torcedor e público na Arena, sendo exatamente este o motivo da exigência de se cumprir as etapas que devem ser seguidas para tais intervenções. A ausência de respeito a isto, pode nos dar a entender que algo possa estar sendo omitido pela equipe da construtora e, que poderia vir a prejudicar os levantamentos da Auditoria da Obra e ao próprio conhecimento do Clube a respeito de fatos relevantes quanto ao estádio.

Roberto de Andrade".