Fellipe Lucena
18/06/2016
17:52
São Paulo (SP)

O 50º jogo do Palmeiras no Allianz Parque terminou com vitória por 3 a 1 sobre o Santa Cruz, com dois gols de Dudu e um de Jean - Grafite, impedido, marcou para os visitantes. O resultado coloca o Verdão na liderança da competição, com os mesmos 19 pontos do Internacional (saldo alviverde é maior), que neste domingo visita o Figueirense, às 16h. Os pernambucanos, com 11 pontos, estão no décimo lugar.

Se a vitória do Palmeiras tivesse um rosto, ele seria o de Cuca. Da escalação ousada aos gols em jogadas ensaiadas, tudo teve o dedo do técnico, que começa a repetir no Palestra Itália o que fez no Atlético-MG, à época conhecido como Galo Doido.

O Verdão, que já tem traços de Porco Doido, segue com desempenho irretocável no Allianz Parque sob o comando de Cuca: seis jogos, seis vitórias, 16 gols marcados e só um sofrido. Neste Brasileirão, são cinco triunfos nos cinco jogos como mandante, incluindo um no Pacaembu. O time não perde desde o clássico contra o São Paulo (são quatro vitórias e um empate depois disso).

Como naquele Atlético-MG que tinha Ronaldinho, Bernard, Diego Tardelli e Jô, Cuca montou um time cheio de jogadores de características ofensivas: Moisés, Tchê Tchê, Róger Guedes, Cleiton Xavier, Dudu, Gabriel Jesus... Quem imaginou que a defesa ficaria exposta quebrou a cara. O Palmeiras marcou - e muito - desde o campo de ataque. O Santa Cruz foi asfixiado no Allianz Parque.

O primeiro gol até que demorou a sair. Foi só aos 28 minutos, depois de o goleiro Tiago Cardoso ter feito três boas defesas, que Moisés cobrou um de seus perigosos arremessos laterais para a área e Cleiton Xavier aproveitou a confusão para deixar Dudu com a meta escancarada à sua frente. O gol do camisa 7 foi o terceiro originado neste tipo de jogada, que já era feita naquele Galo de Cuca, com Marcos Rocha.

Palmeiras x Santa Cruz
Cuca escalou Verdão de forma ofensiva (Foto: Mauro Horita)

No último lance do primeiro tempo, o jogo voltou a refletir o que é feito nos treinos. Egídio rolou, Cleiton Xavier pisou na bola e Jean concluiu a cobrança da falta com um tiro certeiro para as redes. Na comemoração, até Fernando Prass deixou sua meta para abraçar o treinador, o mentor da jogada.

"A gente não pode se abrir muito, senão saímos daqui com cinco ou seis dentro do gol", avisou Grafite, na saída para o intervalo. Mas o Santa Cruz não tinha alternativa a não ser se lançar ao ataque. Quase deu resultado: o próprio Grafite (impedido) marcou de cabeça aos seis minutos e Keno ficou muito perto de empatar logo depois. Mas o alerta estava dado...

Com espaço para contra-atacar, o Palmeiras voltou a criar chances. E Dudu, aos 20 minutos, tranquilizou a torcida ao aproveitar passe açucarado de Gabriel Jesus e marcar o terceiro. Com o resultado na mão, Cuca colocou Thiago Santos na vaga de Cleiton Xavier, deu minutos a Cristaldo no lugar de Moisés e colocou Fabrício para Dudu descansar e ser ovacionado. Houve tempo para Prass fazer dois milagres e evitar qualquer reação do rival. Também para Uillian Correia ser expulso aos 47 minutos.

O Verdão volta a jogar em sua arena na terça-feira, às 21h30, diante do América-MG, pela 10ª rodada. O Santa Cruz recebe o Flamengo no dia seguinte, às 21h, no Arruda.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 1 SANTA CRUZ


Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/horário: 18 de junho de 2016, sábado, às 16h
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público/renda: 34.162 pagantes / R$ 2.167.071,76
Cartões amarelos: Róger Guedes (Palmeiras); Néris e João Paulo (Santa Cruz)
Cartão vermelho: Uillian Correira, 47'/2ºT (Santa Cruz)
Gols: Dudu, 28'/1ºT (1-0); Jean, 47'/1ºT (2-0); Grafite, 6'/2ºT (2-1) e Dudu, 20'/2ºT (3-1)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Tchê Tchê, Moisés (Thiago Santos - 32'/2ºT); Cleiton Xavier (Cristaldo - 32'/2ºT), Róger Guedes e Dudu (Fabrício - 39'/2ºT); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Mario Sergio - 13'/2ºT), Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Ullian Correia, Arthur, Lelê (Daniel Costa - 19'/2ºT), João Paulo (Wallyson - 35'/2ºT) e Keno; Grafite. Técnico: Milton Mendes.