Marcio Porto
13/10/2016
22:59
São Paulo (SP)

"O Pacaembu é meu, o Pacaembu é seu, é nosso!"

É assim, cantado em samba, que o sistema de som do estádio municipal mais famoso de São Paulo recebe os torcedores antes de cada jogo. Mas é mentira. O Pacaembu atualmente só tem um dono: chama-se Santos Futebol Clube. Nesta quinta-feira, o time da Baixada comprovou sua soberania no palco com mais uma vitória sobre o rival São Paulo: 1 a 0.

O Pacaembu é do Santos porque mesmo quando joga mal, o time vence. O gol de Copete, no minuto inicial do segundo tempo, foi um dos raros momentos de brilho do Peixe, acostumado a encantar. Jean Mota, Lucas Lima, Copete... Mas o que é importa é que já são 15 triunfos consecutivos no estádio. Esse faz o time de Dorival Júnior seguir sonhando com o título do Campeonato Brasileiro e cada vez mais próximo de uma vaga na Libertadores. São 54 pontos, quase 20 a mais do que o São Paulo. Com 36, o Tricolor mantém o drama de brigar contra o rebaixamento.

O Pacaembu é do Santos porque o São Paulo permitiu. A equipe de Ricardo Gomes poderia ter aberto vantagem na primeira etapa, quando foi superior, mas novamente pecou nos metros finais até o gol. Novidade do time, o atacante Robson foi quem mais chegou perto com duas boas chances. E Chavez, ah Chavez... O argentino, assim como contra o Flamengo, teve a chance de ouro em seus pés no fim do jogo, mas, cara a cara com Vanderlei, conseguiu chutar para fora. Inacreditável...


O Pacaembu é do Santos porque qualquer vacilo pode custar caro para o adversário. O São Paulo deu a saída no segundo tempo, mas antes de um minuto, Copete já estava na cara de Denis. A marcação do Tricolor foi mal e o goleiro, mal posicionado, contribuiu: o colombiano foi para o abraço.

O Pacaembu é do Santos porque, na soma dos dois clássicos no estádio, o time foi soberano: 4 a 0 no placar agregado, contando os 3 a 0 do primeiro turno.

Nem a força da torcida do São Paulo, que fez sua parte praticamente lotando o Pacaembu, foi capaz de empurrar o time de Ricardo Gomes. O Tricolor não joga mal, mas a recuperação fica cada vez mais difícil. Carlinhos machucou de novo, Wesley jogou mal de novo, Chavez passou em branco de novo (sete jogos), o nervosismo pegou de novo...

Ao Tricolor não resta alternativa que não seja trabalhar para não repetir erros. Em outro palco, porque o Pacaembu é do Santos.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 X 1 SANTOS


Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 13/10/2016, às 21h
Árbitro: Anderson Daronco - RS (FIFA)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves(ASP-FIFA/RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (CBF-1/RS)
Público/renda: 28.321 pagantes / R$ 578.430,00
Cartões amarelos: Mena e Robson (São Paulo); Copete e Luiz Felipe (Santos)
Gol: Copete, 1'/2ºT (0-1)

SÃO PAULO: Denis, Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (Jean Carlos - 28'/2ºT), Thiago Mendes, Wesley (Cueva - 10'/2ºT) e Carlinhos (Kelvin - 30'/1ºT); Robson e Chavez. Técnico: Ricardo Gomes.

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz (Daniel Guedes - 7'/2ºT), Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato (Noguera - 40'/2ºT), Jean Mota e Lucas Lima (Yuri - 32'/2ºT); Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.