RADAR/LANCE
29/10/2016
18:58
Belo Horizonte (MG)

Uma partida digna do tamanho do clássico entre Atlético-MG e Flamengo. Neste sábado, no Mineirão, o empate em 2 a 2 determinou mais um capítulo nesta intensa rivalidade. O Rubro-Negro largou na frente com Diego no primeiro tempo, mas o Galo mostrou a força do seu sistema ofensivo e virou na etapa final com Robinho, de pênalti, e Lucas Pratto. No fim, Guerrero aproveitou um descuido da zaga atleticana e deixou tudo igual.

A partida foi marcada pelo equilíbrio. Um tempo para cada um dos times. O Atlético-MG começou na base do abafa, mas foi o Flamengo quem chegou com chances reais, em duas oportunidades. Primeiro com Fernandinho, depois com Gabriel. Pelos lados do campo, principalmente no setor esquerdo, foi onde os cariocas encontraram mais facilidade para subir ao ataque, explorando a deficiência de Carlos César.


Bem na distribuição de bola, Diego foi um dos pontos altos. As triangulações com Guerrero e Fernandinho ou Gabriel deram muito trabalho à defesa alvinegra. Além disso, a equipe de Zé Ricardo mostrou mais postura defensiva, mordendo mais e por isso recuperando a bola com mais frequência. Em um desses lances, o Atlético errou na hora de sair para o jogo, Guerrero ganhou no alto e a bola sobrou para Diego abrir o marcador: 1 a 0.

Apesar dos esquemas parecidos, o Flamengo teve o comprometimento de praticamente todos seus jogadores, algo que faltou no rival. Melhor na marcação, a equipe só não aumentou o placar por duas vezes por conta de Victor - que fez ótimas defesas na etapa inicial. Ainda assim, o Rubro-Negro foi para o intervalo com a vitória justa diante de um Atlético sem brilho, que explorou sem sucesso os passes longos e pouco conseguiu agrediu a meta de Muralha.

Com Cazares sumido, Luan entrou para ser a explosão que o Atlético precisava. Desde então, o time mineiro mostrou estar com mais apetite e só não empatou por causa da ótima tarde de Muralha ou por méritos do próprio Flamengo, que conseguiu esfriar o jogo em alguns momentos. Até aí, a melhor chance carioca saiu com o equatoriano Erazo, que tentou cortar o cruzamento, acertou a trave e quase marcou contra.

A saída de Donizete e o grito de burro que veio das arquibancadas poderiam ser o prenúncio de um jogo perdido. Mas na prática a ousadia de Marcelo serviu para o time amassar ainda mais o Flamengo. E deu certo. Foram pelo menos duas oportunidades reais de empatar, além de um gol impedido de Fred, antes da igualdade, alcançada com Robinho, de pênalti. Emoção de sobra. Aos 41, Pratto aproveitou e virou para o Galo. Mas quando tudo parecia decidido, o Flamengo voltou a subir para o ataque, a bola ficou viva na área, e Guerrero deixou tudo igual: 2 a 2.

ATLÉTICO-MG 2 X 2 FLAMENGO

Data: 29/10/2016 (sábado)
Horário: 16h30 (de Brasília)
Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 48.157 pagantes
Renda: R$ 1.871.325,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Neuza Ines Back (SC/FIFA) e Alex dos Santos (SC)
Cartões amarelos: - (CAM) Alex Muralha (FLA)
Gols: Diego aos 32 min do primeiro tempo; Robinho aos 36 min, Pratto aos 41 e Guerrero aos 44 do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor, Carlos César, Erazo, Gabriel e Fábio Santos; Leandro Donizete (Lucas Pratto, aos 18 do 2º), Júnior Urso, Otero (Clayton, aos 37 do 2º) e Cazares (Luan, no intervalo); Robinho e Fred.
Treinador: Marcelo Oliveira.

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão (Leandro Damião, aos 42 do 2º) e Diego; Gabriel (Emerson Sheik, aos 14 do 2º), Fernandinho (Alan Patrick, aos 26 do 2º) e Guerrero.
Treinador: Zé Ricardo.