Russel Dias
28/10/2017
06:00
Santos (SP)

A diferença que já foi de 12 pontos caiu pela metade. Além dos tropeços do líder Corinthians, o Santos não perde há seis jogos. E o grande responsável pela somatória do Peixe é Ricardo Oliveira. Dos últimos nove conquistados, ele participou diretamente de seis.

Com quatro gols marcados nos últimos cinco jogos, dois foram os tentos da vitória e outros dois, os de empate. Na sua melhor fase em toda a temporada, o centroavante voltou a ser o que está acostumado com a camisa alvinegra: decisivo.

Autor do gol do título do Paulistão de 2016, artilheiro do Estadual de 2015 e de gol na final da Copa do Brasil de 2015, ele sempre esteve presente nos momentos decisivos. Agora, na busca pelo título do Brasileirão, não tem sido nada diferente.

O que foi diferente em 2017 foi a quantidade de ausências do atacante. Desde o começo do ano, ele enfrentou caxumba, infecção pulmonar, corte profundo na orelha e lesões que o atrapalharam.

Mas se depender do que ele vem mostrando nos últimos jogos, o Ricardo Oliveira deste sábado, contra o São Paulo, às 17h, no Pacaembu, pela 31ª rodada do Brasileirão, será o de sempre.

- Aconteceram coisas que a gente não domina e não consegue controlar. Sempre me cuidei e dei o máximo, o melhor de mim. Graças a Deus estou podendo ajudar a equipe e ser decisivo nessa reta final - comemora.

Quando retornou ao Santos, em 2015, Ricardo Oliveira, foi também o cara dos clássicos. Marcou contra Palmeiras, Corinthians e São Paulo. Nesta temporada, já repetiu a dose contra os dois primeiros e está faltando o Tricolor.

As últimas bolas nas redes de Cássio e de Fernando Prass significaram os gols da vitória do Peixe.

E se depender da confiança de Oliveira, que também já bateu Sidão, mas quando o goleiro ainda defendia o Audax, o pé parece calibrado.

- Minha função é essa. Visto a camisa 9 do Santos e preciso dar resultado, ser decisivo, fazer gols. Meus companheiros me ajudam muito e é isso que esperam de mim. Me encontro bem e feliz. Satisfeito de poder ser decisivo em momentos importantes como esse que vivemos na temporada - pontua.

Para quem quer saber se Ricardo Oliveira estará em uma decisão em 2018 e se esta será pelo Santos, continuará curioso. Mas há pistas...

- Com certeza nós estamos fazendo um campeonato que até aqui temos possibilidades de brigar pelo título. Voltamos a disputar a Libertadores. Acho que temos muitas ambições dentro do time. Se Deus quiser, as coisas vão terminar como desejamos. E que 2018 seja um ano de grandes conquistas para nós.

Confira outras respostas de Ricardo Oliveira:

O Santos tem um time que mantém uma base de jogadores desde 2015, quando você passou a ser o capitão. Isso pode ser um diferencial em relação aos outros dois rivais que brigam pelo título?


É importante em um time uma base forte. O Santos tem um time muito competitivo e acreditamos que o campeonato está aberto. Vai depender muito do nosso desempenho, vamos fazer de tudo e dar o nosso melhor para vencer nossos jogos e torcer para os adversários tropeçarem. Vamos dar o melhor para conseguir os objetivos que traçamos para este ano.

Com dez gols você já é o vice-artilheiro do time no ano. Isso e outros fatores fazem você voltar a se sentir importante para o time?


Claro que gostaria de ter marcado muito mais gols na temporada, mas como nós sabemos, enfrentei doenças e problemas no ano, algumas lesões me tiraram de muitos jogos. Sempre me senti importante dentro do time. os resultados falam por si, como fui decisivo. Voltando a marcar gols e me sentindo bem, me encontro em um momento muito especial para ajudar os companheiros dentro de campo