Brasil se classificou para a Rio-2016 por meio do Pan de Toronto (Foto: Divulgação/CBHG)

Brasil se classificou para a Rio-2016 por meio do Pan de Toronto (Foto: Divulgação/CBHG)

RADAR/LANCE!
03/08/2016
20:05
Rio de Janeiro (RJ)

Trinta e três quilômetros. Esta é a distância da Vila dos Atletas até o Complexo Esportivo de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O local está sendo usado para treinos de hóquei sobre grama, rúgbi, polo aquático e nado sincronizado durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Na tarde desta terça-feira, passaram pelas instalações a equipe feminina de hóquei da Espanha, a seleção masculina da Índia e, já no início da noite, a seleção brasileira também usou o espaço para os ajustes finais para a estreia no sábado diante da Espanha.

Legado

Esta será a primeira vez que a equipe brasileira de hóquei sobre grama disputa uma edição dos Jogos Olímpicos. A vaga foi conquistada após o quarto lugar nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015. Até maio de 2016, havia apenas duas quadras oficiais de hóquei no país, as do Complexo Esportivo de Deodoro, construídos para os Jogos Pan-Americanos de 2007.

- Desde os Jogos Pan-Americanos as pessoas questionam os gramados, mas foram os primeiro construídos no país. Foi o legado do Pan que ajudou a desenvolver a modalidade no Brasil - disse o treinador da equipe brasileira Claudio Rocha.

Claudio Rocha está a frente da seleção brasileira desde o Pan do Rio, em 2007. Ele é, também, um dos idealizadores do curso eletivo da modalidade na UFRJ.

- Há cinco anos apresentei no projeto de extensão do hóquei sobre grama como uma matéria eletiva. Desde 2011 começamos ministrar hóquei na universidade, mas era praticado dentro do ginásio e agora no próximo semestre a gente vai ampliar o curso e será ministrado nos campos oficiais - comenta o treinador.


A estrutura do CT da UFRJ compõe dois campos de hóquei sobre grama, um campo de rúgbi e uma piscina olímpica. Um investimento de mais de R$ 61 milhões do Ministério do Esporte.

Desde o início de junho, a seleção brasileira vem treinando diariamente nos gramados. Inaugurado em maio deste ano, o local vai ajudar no desenvolvimento do esporte no país, comenta Claudio Rocha.

- Treinamos aqui todo o mês de junho. A estrutura é excelente. A gente pode usar a universidade, os dois campos são de níveis internacionais, os mais tops do mundo. Agora o hóquei tem dois polos olímpicos. O de Deodoro e aqui. E vai ajudar muito a desenvolver a modalidade.

Formado em Educação Física pela UFRJ, André Patrocínio é o capitão da equipe e, em setembro, começará a ministrar o hóquei na universidade.

- Os campos vão ajudar na formação de novos professores e colaborar com crescimento de uma nova geração de jogadores da modalidade - disse o capitão.

Campos aprovados

Antes dos brasileiros, passou pelas gramas da UFRJ, a equipe feminina da Espanha. O técnico das espanholas, Adrian Lock aprovou os gramados da Universidade.

- Estamos encantados com as instalações. Os campos são muito bons. Eles tem boas qualidades, estamos contentes com a infraestrutura.

No gramado ao lado, a seleção masculina da Índia também treinava visando a estreia nos Jogos.

- A equipe gosta de treinar aqui, a instalação da Universidade é ótima. Apreciamos a organização e os esforços dos brasileiros. Queremos o início dos Jogos - comenta o treinador Roelant Oltmans, que conta os dias para a estreia na competição.

Chave olímpica

Na primeira fase, o Brasil está no Grupo A, junto com Austrália, Nova Zelândia, Bélgica, Grã-Bretanha e Espanha. O principal objetivo da equipe é passar de etapa, comenta o capitão André. "Disfrutar o máximo possível a competição e passar da primeira fase".

 Informações sobre os campos de hóquei sobre grama da UFRJ

- Os campos são dotados de sistemas de luminotécnica, drenagem, irrigação e água de reuso, infraestrutura elétrica e hidráulica e áreas técnicas com reservatório de água e casa de bombas;

- A área de treinamento de cada campo é retangular, com 91,40m de comprimento, delimitada por linhas de fundo e 55m de largura, delimitada pelas linhas laterais;

- O piso deve estender-se para criar áreas de escape por no mínimo 5m nas linhas de fundo e 4m nas linhas laterais, assim, as dimensões finais dos campos serão 101,4m de comprimento e 63m de largura.

 Apoio a modalidade

Bolsa Atleta

São contemplados 101 atletas de todo o país, num investimento anual de R$ 1,1 milhão.

Convênios

Entre 2011 e 2014, o Ministério do Esporte firmou quatro convênios com a Confederação Brasileira de Hóquei sobre Grama e Indoor (CBHG) no valor total de R$ 6,3 milhões. Os convênios contemplaram a preparação dos atletas das seleções nacionais de hóquei sobre a grama por meio de treinamentos, intercâmbio nacional e participações em competições internacionais; preparação dos atletas da seleção masculina de hóquei sobre a grama visando à classificação e participação brasileira nos Jogos Olímpicos Rio 2016; realização dos VII Jogos Sul-Americanos de Hóquei Sul-Americanos de Hóquei sobre Grama Indoor; e a realização de duas etapas, inclusive as finais, do Campeonato Brasileiro de Hóquei sobre a Grama.