Fellipe Lucena
27/03/2016
17:56
São Paulo (SP)

O domingo de Páscoa do Palmeiras teve sabor de chocolate amargo. O time perdeu pela quarta vez em quatro jogos com Cuca, desta vez de goleada, e vai terminar a 12ª rodada fora da zona de classificação aos mata-matas do Paulistão. O Água Santa, que vinha em crise, acaba de trocar de técnico e acumulava quatro derrotas e dois empates nos últimos seis jogos, fez 4 a 1 no Verdão. Um novo vexame no dia do terceiro aniversário da famosa goleada por 6 a 2 sofrida para o Mirassol no Estadual de 2013. Veja a repercussão.

A torcida organizada do Palmeiras voltou a criticar o presidente Paulo Nobre e o time, chamado de "sem vergonha". No dia anterior, membros da Mancha Alviverde foram à Academia de Futebol e tiveram uma reunião com algumas lideranças do elenco - o clube reclamou de invasão e prometeu tomar providências. A conversa parece não ter surtido muito efeito... Confira como foi o jogo lance a lance em Prudente.


Se o chute forte de Robinho logo no primeiro minuto tivesse encontrado as redes, e não a trave, talvez a equipe de Cuca conseguisse jogar com um mínimo de confiança. O que se viu até o Água Santa abrir o placar foi um Palmeiras que trocava passes com certa qualidade, mas não tinha calma para concluir as jogadas.

O gol de cabeça marcado por Gustavo aos 34 minutos, na enésima falha do Palmeiras em cobranças de escanteio, fez o time desmoronar de vez. Robinho até empatou cobrando pênalti duvidoso - tanto que Leandro Bizzio Marinho mostrou cartão amarelo a Russo, que nem estava na disputa com Dracena -, mas o Água Santa ainda fez mais dois no primeiro tempo.

O empate palmeirense saiu aos 43 minutos e teve até um "sai, zica" na comemoração, mas no lance seguinte Everaldo já estava surgindo às costas de Lucas para superar Fernando Prass com um chute de bico. Ainda houve tempo para Bruninho receber sozinho - e impedido - para driblar o goleiro alviverde e aumentar a vantagem. Enquanto o autor do gol dançava para comemorar, um torcedor do Palmeiras invadiu o campo, mas logo foi contido.

Aos 13 minutos do segundo tempo, Cuca já havia dado todas as suas cartadas em busca da reação. Lucas, irreconhecível como em toda esta temporada, e Thiago Santos, novidade no time titular na vaga de Jean, nem voltaram do intervalo e foram substituídos por João Pedro e Régis. Erik, de novo improdutivo, saiu depois da Zé Roberto entrar.

Não mudou muito. O Palmeiras continuou com a posse de bola, sem contundência para finalizar e falhando na defesa. Para variar, em jogada de escanteio: aos 22 minutos, os atacantes do Água Santa nem precisaram agir, já que Roger Carvalho marcou, contra, o quarto gol. O quinto não saiu por pouco, já que Francisco Alex acertou o travessão em um chutaço já no fim.

O Palmeiras está em terceiro lugar do Grupo B, com 15 pontos, atrás de Ituano (18) e São Bernardo (16). Se o Novorizontino (15) ao menos empatar com o Mogi Mirim e a Ponte Preta (13) vencer o Red Bull, o Alviverde irá para a lanterna da chave  e se terá apenas um time o separando da zona de rebaixamento: justamente o Água Santa, que chegou aos mesmos 15 pontos do Verdão, mas perde nos critérios de desempate. O clube de Diadema é terceiro no Grupo D.

FICHA TÉCNICA
ÁGUA SANTA 4 X 1 PALMEIRAS


Local: Prudentão, Presidente Prudente (SP)
Data-Hora: 27/3/2016 - 16h
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Osvaldo Apipe de Medeiros Filho
Público: 2.821 pagantes
Cartões amarelos: Russo e Bruno (AGS), Egídio e Edu Dracena (PAL)
Cartões vermelhos: -

Gols: Gustavo (34'/1ºT) (1-0), Robinho (43'/1ºT) (1-1), Everaldo (44'/1ºT) (2-1), Bruninho (48'/1ºT) (3-1) e Roger Carvalho (contra) (22'/2ºT) (4-1).

ÁGUA SANTA: Dheimison; Pedro, Eli Sabiá, Gustavo e Tarracha (Bruno Ré, aos 23'/2ºT); Russo, Sérgio Manoel, Tchô (Rafael Tavares, aos 43'/2ºT) e Francisco Alex; Bruninho (Éder Loko, aos 20'/2ºT) e Everaldo. Técnico: Márcio Bittencourt.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (João Pedro, no intervalo), Edu Dracena, Roger Carvalho e Egídio; Thiago Santos (Régis, no intervalo), Arouca e Robinho; Allione, Erik (Zé Roberto, aos 14'/2ºT) e Rafael Marques. Técnico: Cuca.