Thiago Ferri
09/03/2016
23:52
São Paulo (SP)

Ter mais posse de bola, chutar mais ao gol, aproveitar o estádio lotado para pressionar o adversário... Na teoria, o Palmeiras montou o script perfeito na noite dessa quarta-feira. Mas na prática, o time apresentou velhas panes, que resultaram na vitória do Nacional por 2 a 1, resultado que tirou o Verdão da ponta no Grupo B da Libertadores após três rodadas - são quatro pontos em três jogos. Veja a repercussão da derrota nos vestiários do Allianz Parque.

Depois de sofrer para bater o Rosario Central (ARG) em casa, os jogadores tinham na ponta da língua o que era preciso acontecer diante do Nacional: não deixar o adversário jogar o time para a defesa. Isto, o Verdão soube fazer bem.


Como de costume, o Palmeiras que teve o auxiliar Tico dos Santos à beira do gramado (Marcelo Oliveira estava suspenso), tocou a bola, tentou abrir espaço e avançou bem até a intermediária. O problema estava no último terço do campo e a falta de criatividade.

Os apagões, então, começaram a ser determinantes. Primeiro Nico López apareceu totalmente livre na área. Por sorte, seu toque de calcanhar parou na trave esquerda. Dois minutos depois, o camisa 9 não perdoou: aproveitou a rebatida ruim de Thiago Martins e a desatenção de Vitor Hugo para abrir o placar. Pouco depois, Victorino fez falta em Cristaldo, o árbitro Enrique Osses mandou seguir, e no contra-ataque Leandro Barcia ampliou para a equipe uruguaia.

Verdão ficou com 4 pontos, mesmo número do Rosario. Nacional agora lidera com 5

A situação foi amenizada com a expulsão ainda no primeiro tempo de Fucile e o belo gol de Gabriel Jesus, na única jogada de perigo trabalhada pelo Verdão até então.

No segundo tempo, o Palmeiras ficou durante praticamente todo o tempo no ataque. Mais uma vez, faltaram chances claras. O Nacional, com um a menos, entre faltas e muita cera só tentava esfriar o jogo.

Libertadores - Palmeiras x Nacional (foto:Mauro Horita/LANCE!Press)
Prass foi ao ataque no fim do jogo (foto:Mauro Horita/LANCE!Press)

Tico foi ousado e tirou o zagueiro Thiago Martins para colocar o lateral Egídio – Zé Roberto foi para o meio e Thiago Santos para a zaga. O time, porém, seguiu burocrático e viveu de cruzamentos. Ainda assim, teve a chance de empatar nos acréscimos, com Lucas, pouco depois da expulsão de Léo Gamalho. O lateral acertou a trave quando Prass já estava dentro da área para tentar salvar o Verdão mais uma vez.

Agora, o Nacional lidera a chave com cinco pontos e o Verdão é o segundo, com quatro. Quinta que vem, os times tem novo duelo, no Uruguai. Veja como está a classificação da Copa Libertadores.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 2 NACIONAL (URU)

Local
: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 9/3/2016 - 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Auxiliares: Carlos Astroza (CHI) e Christian Schiemann (CHI)
Público-Renda: 37.073 presentes / R$ R$ 2.490.655,50
Cartões amarelos: Zé Roberto, Thiago Martins e Egídio (PAL), Fucile, Eguren, Seba Fernández, Conde, Romero e Nico López (NAC)
Cartões vermelhos: Fucile e Léo Gamalho (NAC)
Gols: Nico López 37' 1ºT (0-1), Leandro Barcia 40' 2ºT (0-2), Gabriel Jesus 48' 1ºT (1-2)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Thiago Martins (Egídio 20' 2ºT), Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Jean (Allione 14' 2ºT) e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus e Cristaldo (Alecsandro 21' 2ºT). Técnico: Tico dos Santos

NACIONAL (URU): Esteban Conde, Fucile, Eguren, Victorino e Alfonso Espino; Gonzalo Porras, Santiago Romero, Kevin Ramírez e Leandro Barcia (Felipe Carballo 45' 1ºT); Nico López (Léo Gamalho 41' 2ºT) e Seba Fernández (Matías Cabrera 24' 2ºT). Técnico: Gustavo Munúa