Thiago Ferri
02/04/2017
21:01
São Paulo (SP)

Rei do mata-mata no Atlético Nacional, Borja manteve a sina em seu primeiro jogo deste tipo no Palmeiras. Mas não foi fácil. De tanto insistir, o camisa 12 voltou a marcar depois de quatro partidas e ajudou o Palmeiras a vencer o Novorizontino, de virada, por 3 a 1, no interior, na partida da ida nas quartas de final do Paulistão.

Das 24 finalizações do Verdão em Novo Horizonte (SP), dez foram do atacante colombiano. Se no Nacional ele havia feito 16 de seus 17 gols em jogos de mata-mata no ano passado, no Verdão ele vinha se mostrando ansioso pelo curto período de seca. Neste domingo, ele tentou de falta, mas Michael pegou; de cabeça, mas parou na trave; de fora da área, mas isolou. Nem dentro da área ele vinha tendo sorte: quando o Palmeiras já perdia graças ao gol de Roberto, o centroavante dominou perto da marca do pênalti e encheu o pé, mas foi travado. Coube a Dudu, na sobra da jogada no abafa, empatar uma partida complicada para o Verdão.


Complicada porque o time de Eduardo Baptista teve muita dificuldade quando contra-atacado, especialmente no lado de Egídio, de onde saiu o gol do time da casa, após um erro coletivo, incluindo o combate errado de Edu Dracena, que terminou com a bola entre as pernas de Fernando Prass. O Verdão durante todo o jogo beirou os 60% de posse de bola e chutou muito, mas errou muito. Borja era o exemplo disso.

O centroavante teve chances de todos os jeitos. Nem a sorte esteve ao seu lado: quando cabeceou a bola na trave, ela voltou nas costas do goleiro Michael e apenas facilitou a defesa. Enquanto isso, Prass teve de fazer grande defesa no chute de Doriva para evitar o segundo gol do Novorizontino. Do outro lado, o goleiro da casa não teve a mesma sorte na sequência.

Após ajeitada de Mina, Borja, em condição legal, dominou no peito e empurrou para a rede. Ufa! Alívio para o atacante e para o Palmeiras, que ainda correu riscos em jogadas de lado. Mas o contragolpe alviverde resolveria o jogo. Em cruzamento de Erik, Róger Guedes completou para o gol e matou o jogo. O atacante, na comemoração, foi expulso por ter subido no alambrado.

Com o resultado, o Palmeiras pode até perder por um gol na próxima sexta, no Pacaembu, às 21h, e já tem garantido o segundo mando em casa caso se classifique à semi. Nem Corinthians, nem Ponte Preta (ambos com 25 pontos) podem alcançar o Verdão (28), que hoje tem duas vitórias a mais que os dois rivais.

FICHA TÉCNICA

NOVORIZONTINO 1 X 3 PALMEIRAS


Data/Horário: 2/4/2017, domingo, às 19h
Local: Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte (SP)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Fabio Rogerio Baesteiro
Público/renda: 7.582 pagantes / R$ 467.960,00
Cartões amarelos: Éder e Roberto (Novorizontino); Felipe Melo e Borja
Cartão vermelho: Róger Guedes, 44'/2ºT (Palmeiras)
Gols: Roberto, 11'/1ºT (1-0); Dudu, 38'/1ºT (1-1); Borja, 20'/2ºT (1-2) e Róger Guedes, 44'/2ºT (1-3)

NOVORIZONTINO: Michael; Moacir, Domingues, Diego Sacoman e João Lucas; Eder (Henrique Santos - 23'/2ºT) e Doriva; Roberto, Fernando Gabriel (Caíque - 32'/2ºT) e Henrique Roberto (Alexandro - 28'/2ºT); Everaldo. Técnico: Silas.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Mina, Edu Dracena e Egídio; Felipe Melo; Róger Guedes, Dudu (Michel Bastos - 28'/2ºT), Tchê Tchê e Willian (Keno - 20'/2ºT); Borja (Erik - 39'/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista.