Campeonato Paulista - Botafogo-SP x Palmeiras

Alecsandro festeja seu gol em Ribeirão (Foto: Célio Messias/Lancepress!)

Fellipe Lucena
31/01/2016
21:28
São Paulo (SP)

Todos os jogadores do Palmeiras, incluindo Fernando Prass, correram para abraçar Alecsandro depois do gol que abriu caminho para a vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, neste domingo, em Ribeirão Preto. Um abraço coletivo no centroavante que correu sério risco de ser usado pela torcida para personificar um possível tropeço na estreia pelo Paulistão. Dudu, já no fim, marcou o outro.

Alecsandro tornou-se o centro das atenções primeiro porque os palmeirenses que foram ao Santa Cruz não esperaram nem o fim da etapa inicial para gritarem por Cristaldo, o reserva imediato. É verdade que parte da irritação era com Gabriel Jesus, que teve noite para esquecer desde o primeiro lance, quando recebeu ótimo passe de Arouca, saiu na cara de Neneca e chutou em cima do goleiro.

Segundo que as declarações de Alecsandro no intervalo foram contundentes. Ele salientou que também tinha culpa, mas afirmou que o time estava jogando mal, que a bola não chegava e que finalizar duas vezes em 45 minutos era muito pouco –ele próprio foi o autor de um desses chutes, que saiu sem força e ampliou a bronca da torcida. Certamente já havia gente lamentando a inflamação lombar que impediu Lucas Barrios de jogar.


Confira jogos e classificação do Campeonato Paulista


Mas Alecsandro também avisou que ainda ouviria aplausos dos alviverdes. “Profecia” que tornou-se realidade após o gol, que saiu em um cabeceio após cruzamento perfeito de Lucas. Teve ainda uma ajudinha de Neneca, ao espalmar a bola contra o travessão e na volta empurrá-la para o fundo da rede.
Aos 41, em um contra-ataque, Robinho deu grande lançamento para Dudu fuzilar e definir a vitória mais elástica dos grandes paulistas nesta rodada inicial do Estadual. Àquela altura, o time estava posicionado pela primeira vez com três zagueiros, já que Roger Carvalho substituiu o volante Thiago Santos.

Tudo bem que vitória e futebol vistoso, neste caso, não foram sinônimos. A própria jogada do gol de Alecsandro começou de um chutão de Fernando Prass, algo que o time treina para evitar. Se Nunes não se preocupasse tanto em provocar os zagueiros e ajudasse o bom meia Vitinho, o Botafogo-SP de Marcelo Veiga talvez complicasse mais.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 0 x 2 PALMEIRAS


Data e horário: 31 de janeiro de 2016, domingo
Local: Santa Cruz, Riberão Preto (SP), 19h30
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Cartões amarelos: Mirita e César Gaúcho (BOT); Alecsandro e Robinho (PAL)
Gols: Alecsandro - 15'/2ºT (0-1); Dudu - 41'/2ºT (0-2)
Renda/Público: R$ 897.130,00 /18.635 pagantes

BOTAFOGO-SP: Neneca; Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Augusto Ramos; César Gaúcho, Rodrigo Thiesen, Danilo Bueno (Paulinho 32’/2ºT) e Vitinho; Diego Pituca (Serginho 21’/2ºT) e Nunes. Técnico: Marcelo Veiga

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio 23’/2ºT) Thiago Santos (Roger Carvalho 32’/2ºT) e Arouca; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus (Erik 28'/2ºT); Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira