Erica Paes

                                  Atleta é faixa-preta de jiu-jitsu há 17 anos - (Foto: divulgação)

Erik Engelhart
11/10/2016
15:54
Rio de Janeiro (RJ)

Campeã mundial de jiu-jitsu e lutadora de MMA, Érica Paes serviu de inspiração para a autora Glória Perez criar a personagem da atriz Paolla Oliveira, que vive uma policial e lutadora na novela "À Flor da Pele", que tem estreia prevista para o primeiro semestre de 2017 na Rede Globo, no horário das 21h.

Além de atuar como consultora da novela, a única mulher a derrotar a temida Cris Cyborg no MMA também ganhou um papel como coadjuvante na novela, que ela não ainda não pode revelar a pedido da Rede Globo.

Erica Paes sempre foi uma lutadora muito ativa, tanto no jiu-jitsu quanto no MMA, mas uma série de lesões a impediram de levar a carreira da maneira como gostaria. A atleta pode ser considerada uma das precursoras do MMA feminino e abriu caminho para muitas meninas que atualmente vivem apenas do esporte.

Primeira mulher a treinar na lendária academia Brazilian Top Team, Érica pegou o auge da rivalidade que a equipe carioca tinha com a Chute Boxe, do Paraná. E logo em sua estreia no MMA profissional, pegou a também debutante Cris Cyborg, em maio de 2005, pelo Showfight 2. A paraense derrotou a atleta da Chute Boxe com uma chave de joelho ainda no primeiro round.

Livre de lesões e treinando jiu-jitsu diariamente, Érica não tem pressa para retornar ao MMA, pois não lhe faltam compromissos fora do cage, mas a paraense não está fechada para um possível retorno ao octógono, onde acumula três vitórias e duas derrotas.

- Me sinto em plenas condições de lutar, mas estou com outras prioridades. Tenho trabalhado na novela, além de um projeto social no meu estado, o Pará, onde ensinamos as mulheres a se defenderem e contra a violência que muitas delas sofrem . No momento não estou pretendendo lutar, mas caso apareça uma proposta irrecusável, quem sabe? Tem sido uma experiência incrível participar da novela, algo que eu nunca imaginei que pudesse acontecer. Me sinto muito grata e honrada em poder fazer parte desse projeto. Não sou atriz, mas estou estudando bastante. Tenho dado o meu melhor e espero corresponder a altura - disse Paes, em entrevista ao LANCE! 

Erica não compete desde março do ano passado, quando finalizou Evelin Gomes com um arm-lock no Circuito Team Nogueira, realizado em Ananindeua, no Pará. Quando perguntada sobre o interesse em conceder uma revanche a melhor lutadora da atualidade, Érica não pensou duas vezes.

- A Cris vem fazendo um trabalho fenomenal, mas tivemos trajetórias diferentes. Ela vem lutando durante anos de maneira ininterrupta, enquanto eu sofri muito com lesões, mas sou guerreira e acredito muito em mim e num retorno em breve. É claro que eu aceitaria conceder uma revanche a Cyborg na hora. Acho que existe o medo do mito Cyborg e isso eu não tenho, afinal fui a única a derrotá-la. É claro que nós evoluímos após aquela luta, mas ainda confio muito no meu chão. O jiu-jitsu é e sempre vai ser a minha origem - concluiu.