Fellipe Lucena
03/05/2017
23:40
São Paulo (SP)

Dessa vez não teve gol no fim e nem virada. O Palmeiras fez outro primeiro tempo ruim e perdeu por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann, em Cochabamba, na penúltima rodada do Grupo 5 da Libertadores.

O Verdão continua na liderança da chave, com dez pontos, e se classifica até se perder por um gol de diferença para o Tucumán (que tem sete pontos). Se o Jorge Wilstermann (nove pontos) for derrotado pelo eliminado Peñarol, fora de casa, os brasileiros avançam independentemente do resultado no Allianz Parque.

A novidade de maior impacto na escalação do Verdão nesta quarta foi a ausência de Borja, que assistiu ao primeiro tempo do banco, mas outras trocas foram mais sentidas.

Vitor Hugo mostrou novamente que está alguns degraus abaixo de Edu Dracena em 2017 – o titular não viajou por estar com dores no joelho. No primeiro gol do Wilstermann, o camisa 4 subiu para tentar cortar, não achou nada e viu Morales surgir às suas costas para cabecear.

Talvez seja justo colocar o segundo gol boliviano na conta da altitude (2.574 metros acima do nível do mar), já que o chute de Machado ganhou um efeito inesperado e entrou no ângulo, mas ele teve grande liberdade.

Fato é que o Palmeiras, que começou bem, sentiu falta do suspenso Felipe Melo na saída de bola. Thiago Santos não tem a mesma qualidade na função e Tchê Tchê não conseguiu auxiliar o tempo todo. O gol de Guerra, no último lance do primeiro tempo, manteve o time vivo.

O Verdão voltou do vestiário com Borja no lugar de Willian e postura mais ousada. Depois, Eduardo Baptista soltou ainda mais a equipe com Keno na vaga de Thiago Santos.

O histórico recente fez o torcedor confiar em uma virada épica, mas o Wilstermann logo ampliou sua vantagem: Jean errou o tempo de bola, Saucedo saiu de cara para o gol e Fernando Prass fez pênalti. Cardozo converteu a cobrança aos 23.

Jogo resolvido? Ainda não. Menos de cinco minutos depois, Keno (que entrou bem) fez ótima jogada pela esquerda e cruzou para Cabezas, com um gol contra, acordar o Palmeiras outra vez. Mas não é todo dia que um jogo perdido vira vitória inesquecível. Até saiu um gol aos 47, de Vitor Hugo, mas a arbitragem acertou e deu impedimento.

FICHA TÉCNICA
JORGE WILSTERMANN 3 X 2 PALMEIRAS
Local: Félix Capriles, Cochabamba (BOL)
Data-Hora: 3/5/2016 - 21h45
Árbitro: Wilson Lamouroux (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro (COL) e John Alexander Leon (COL)
Público/renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Ortiz, Ríos, Aponte e Morales (WIL)
Cartões vermelhos: -
Gols: Morales (35'/1ºT) (1-0), Machado (40'/1ºT) (2-0), Guerra (45'/1ºT) (2-1), Cardozo (23'/2ºT) (3-1), Cabezas (contra) (27'/2ºT) (3-2),

JORGE WILSTERMANN: Olivares; Morales, Alex Silva, Zenteno e Aponte; Machado, Saucedo (Díaz, aos 38'/2ºT) e Chávez (Ortiz, aos 13'/2ºT); Bergese (Cabezas, aos 19'/2ºT), Cardozo e Ríos. Técnico: Roberto Mosquera.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Michel Bastos; Thiago Santos (Keno, aos 16'/2ºT) e Tchê Tchê; Róger Guedes, Guerra e Dudu (Raphael Veiga, aos 25'/2ºT); Willian (Borja, no intervalo). Técnico: Eduardo Baptista.