Fellipe Lucena
10/08/2017
00:12
São Paulo (SP)

O Palmeiras disse adeus à Copa Libertadores - e, provavelmente, à última chance de título que lhe restava em 2017 - ao perder nos pênaltis para o Barcelona de Guayaquil, no Allianz Parque. Com um gol de Moisés, que tinha tudo para ser o herói da noite, o time devolveu o placar do jogo no Equador, 1 a 0, mas Bruno Henrique e Egídio desperdiçaram suas cobranças na disputa de pênaltis. Jailson ainda defendeu um, mas não evitou a derrota por 5 a 4.

Após a partida, a torcida do Verdão xingou o sempre perseguido Egídio. A organizada ainda chamou a equipe de "sem vergonha".

O Barcelona de Guayaquil está nas quartas de final e agora aguarda o vencedor do confronto entre Santos e Atlético-PR, que se enfrentam nesta quinta, na Vila Belmiro. Na ida, o Santos fez 3 a 2 fora de casa.

A julgar pela pressa dos jogadores, o Palmeiras entrou decidido a modificar o placar logo no início. Talvez por isso o time tenha optado por levantar a bola para a área em qualquer oportunidade, mesmo em faltas próximas ao meio-campo.

Mas o que o jogo pedia era velocidade, troca de passes, jogadas individuais... O time de Cuca, armado com três jogadores rápidos (Róger Guedes, Dudu e Keno) para servir Deyverson, conseguia se aproximar do gol de Banguera quando ia por esse caminho, mas o fez poucas vezes.

O primeiro tempo deixou uma sensação ruim, já que quem criou a melhor chance foi o Barcelona, na base da velocidade do perigosíssimo Marcos Caicedo. Para piorar, Mina machucou o tornozelo e teve de ser substituído por Edu Dracena.

A segunda troca veio logo no intervalo: Moisés na vaga de Róger Guedes. Cinco minutos depois, a defesa equatoriana se abriu como o Mar Vermelho diante do Profeta, que recebeu de volta uma bola que ele mesmo havia lançado para Dudu, cortou o zagueiro com imensa categoria e pôs o Verdão na frente.

Mas ainda era preciso fazer um gol – e não tomar nenhum – para alcançar a vaga. Aos 15, as duas coisas ficaram por centímetros de acontecer: centímetros que deixaram Deyverson impedido antes de empurrar para dentro um cruzamento de Dudu, centímetros que fizeram o tiro de Álvez pegar na trave segundos depois... O jogo ficou frenético. Keno acertou o travessão aos 18 e Oyola furou de maneira incrível na cara de Jailson dois minutos depois.

A apreensão aumentava conforme o relógio corria. O Palmeiras perdeu mais um por lesão, Dudu, substituído por Guerra, e ainda viu Bruno Henrique e Moisés terminarem o jogo mancando. Aos 38, Dracena fez o torcedor prender a respiração ao puxar Álvez dentro da área, mas o árbitro mandou seguir. Àquela altura, ter a chance de decidir nos pênaltis era uma dádiva para o Verdão, mas os erros de Bruno Henrique e Egídio acabaram com a obsessão do ano.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 (4) X (5) 0 BARCELONA-EQU
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 9/8/2017 - 21h45
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Pablo Belatti (ARG)
Público/renda: 38.310 pagantes/R$ 3.343.320,49
Cartões amarelos: Thiago Santos e Edu Dracena (PAL), Marcos Caicedo, Oyola e Castillo (BAR)
Cartões vermelhos: -
Gols: Moisés (5'/2ºT) (1-0)
Pênaltis: Guerra (marcou), Tchê Tchê (marcou), Bruno Henrique (errou), Keno (marcou), Moisés (acertou), Egídio (errou) (PAL)
Álvez (marcou), Oyola (marcou), Segundo Castillo (marcou), Marcos Caicedo (marcou), Damián Díaz (errou), José Ayoví (marcou) (BAR)

PALMEIRAS: Jailson; Tchê Tchê, Mina (Edu Dracena, aos 39'/1ºT), Luan e Egídio; Thiago Santos, Bruno Henrique e Dudu (Guerra, aos 31'/2ºT); Róger Guedes (Moisés, no intervalo), Keno e Deyverson. Técnico: Cuca.

BARCELONA-EQU: Banguera; Pedro Velasco, Dario Aimar, Arreaga e Pineida (Tito Valencia, aos 24'/2ºT); Minda (Segundo Castillo, aos 33'/2ºT), Oyola e Marcos Caicedo, José Ayoví e Castillo (Damián Díaz, aos 12'/2ºT); Jonatan Álvez. Técnico: Guillermo Almada.