Thiago Salata
15/04/2016
18:04
São Paulo (SP)

A edição da Libertadores com o maior número de campeões da história já não terá seis deles nas oitavas de final. Mais dois ainda correm risco, o que pode fazer com que mais da metade dos clubes que têm ao menos uma taça no currículo fiquem fora da disputa. Do total de 15 campeões, Palmeiras, Penãrol, Colo-Colo, San Lorenzo, LDU e Olimpia já estão eliminados. Racing e São Paulo ainda decidirão suas vagas na altitude de La Paz na semana que vem.

River Plate, Nacional (URU), Boca Juniors, Atlético Nacional (COL), Atlético-MG, Grêmio e Corinthians são os campeões garantidos na próxima etapa. É possível que o Verdão seja o único representante brasileiro a dar adeus precoce à principal competição sul-americana. Por que caiu?

O Palmeiras pagou caro por insistir em Marcelo Oliveira. Foram três meses em 2016 de um trabalho ruim, sequência de um 2015 repleto de falhas. A opção foi por insistir após o título da Copa do Brasil, conquistado na base da raça, da superação e na força da torcida. Insistência que seguiu até mesmo no baile tomado em casa contra o Rosario Central, que acabou, por conta da vitória, fazendo com que mais tempo fosse perdido. Digo sempre que "falar depois é fácil". No caso de Marcelo, muita gente falou antes, e muito antes do pior acontecer... Oliveira fez quatro pontos no turno de três jogos, sendo dois deles em casa. Cuca pegou as partidas mais difíceis longe do Brasil: quatro pontos no returno. Total de oito. Não deu.

Justa queda, na pior campanha do Palmeiras em 16 participações em Libertadores. Cuca precisou de pouco tempo para perceber que Lucas tinha de sair do time, Thiago Santos está muito abaixo dos demais volantes, Gabriel Jesus não pode marcar lateral no campo de defesa, Zé Roberto tem limitações físicas naturais, Egídio só rende com proteção, Alecsandro pode jogar fora da área, Allione pode cair pelo meio junto com Robinho... Mas o pouco tempo não foi suficiente para salvar a campanha. Resta olhar para a frente, com a compreensão de que há lacunas no elenco, principalmente na defesa. A evolução que não se via com Marcelo, porém, agora se vê com Cuca. Se vai brigar por algum título na temporada é outra questão...

Quem pode seguir o mesmo caminho do Palmeiras (eliminação) é o tricampeão São Paulo. Basta um empate contra o The Strongest (BOL), na temida altura de La Paz. Hoje é mais fácil acreditar que este resultado é possível. Se ainda está longe de ter um time confiável, seja na defesa ou no ataque, o Tricolor voltou a ter alma com vitórias sobre Trujillanos e River em casa. Ganhou confiança na chave em que largou com um vexame no Pacaembu contra os bolivianos.

O Grêmio merece aplausos: passou com uma rodada de antecedência no grupo mais difícil. Preparou-se para tal e foi buscar a vitória na altitude de Quito contra a LDU. A falta de títulos recente joga sempre um peso enorme nas costas dos gaúchos em decisões e isso mais uma vez estará à prova nos mata-matas. O Atlético-MG tem no momento o elenco mais forte e o time mais confiável do país, acima do campeão brasileiro Corinthians. Beneficiou-se de um grupo fraco, mas fez seu dever passando sem sustos. Tite faz muito ao classificar bem o Timão para as oitavas, mas ainda ficam interrogações com o desempenho alvinegro nos grandes jogos. De toda forma, é competitivo. Agora é hora de brincar de simular duelos e esperar pelo chaveamento das oitavas de final, que irá definir os caminhos de cada um na busca pela tão sonhada taça.