Thiago Ferri
16/04/2017
17:59
Campinas (SP)

No domingo de Páscoa, a Ponte Preta deu um “chocolate” no Palmeiras do início ao fim e ganhou fácil por 3 a 0, a primeira semifinal do Campeonato Paulista. A Macaca tem agora uma ótima vantagem para ficar com a vaga na decisão.

O que Felipe Melo disse no intervalo resume bem a tarde: “A Ponte Preta comeu a gente”. Muito mais intenso do que o Verdão, o time de Gilson Kleina com dez minutos já tinha 2 a 0 a favor: no primeiro ataque, após duas defesas de Prass, Pottker desviou o chute de Jeferson e abriu o placar; depois, passe do centroavante para Lucca, atacante emprestado pelo Corinthians, entrar nas costas de Jean e ampliar a vantagem.


Além da atuação em “marcha lenta”, o Verdão esteve mal tecnicamente. As tentativas de dribles, tabelas, jogadas trabalhadas foram em sua maioria frustradas. A melhor chance antes do intervalo foi aos dois minutos, em cobrança de falta de Borja, que no restante do jogo teve atuação muito ruim.

Se pelo lado alviverde criar algo era um imenso sacrifício, a equipe alvinegra era o contrário: toques rápidos e bem organizados deram à Ponte a vantagem em todo o tempo. A coisa ficou ainda melhor para os mandantes quando Zé Roberto escorregou na área e deixou Jeferson livre, tranquilo para tocar na saída de Prass e fazer 3 a 0 aos 33 minutos de jogo!.  Um passeio que nem o mais otimista ponte-pretano esperava ver no Moisés Lucarelli.

Eduardo Baptista colocou Michel Bastos, mudou o esquema, Alecsandro substituiu Borja, e Róger Guedes foi a última tentativa do técnico para criar algo. O Palmeiras ficou mais tempo no ataque, mas de forma estéril, sem incomodar Aranha. A Macaca, por outro lado, poderia ter feito mais: Prass defendeu desvio de Mina, contra, depois pegou chute de Elton, e ainda deu um carrinho em Pottker dentro da área que o árbitro não marcou pênalti.

Já são seis jogos da Ponte Preta sem perder para o Palmeiras – o último triunfo do Verdão foi em 2015, na Arena Pantanal. Desde então, a equipe de Campinas venceu quatro vezes e empatou outras duas.

Para a volta no Allianz Parque, sábado que vem, dia 22 de abril, o Palmeiras terá uma missão dura: vencer por três gols de vantagem para levar a decisão aos pênaltis. A Ponte, assim, pode até perder por dois gols que mesmo assim chegará à decisão do Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 3 X 0 PALMEIRAS


Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data/Hora: 16/04, às 16h
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Daniel Paulo Ziolli
Cartões amarelos: Jeferson, Fernando Bob, Jadson e Reynaldo (PON); Thiago Santos, Borja e Mina (PAL)
Cartões vermelhos: -
Público/Renda: 12.843 pagantes/ R$ 376.645
Gol: Pottcker, aos 1'/1T (1-0); Lucca, aos 7'/1T (2-0) e  Jeferson, aos 33'/1T (3-0)

PONTE PRETA: Aranha; Jeferson, Marllon, Yago e Reynaldo, Fernando Bob, Elton e Jadson (Wendel, aos 18'/2T); Lucca ( Artur, aos 40'/2T), Clayson (Lins, aos 31'/2T) e Pottker. Técnico: Gilson Kleina.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Willian (Roger Guedes, aos 25'/2T), Tchê Tchê, Guerra (Michel Bastos, intervalo) e Dudu; Borja (Alecsandro, aos 12'/2T). Técnico: Eduardo Baptista.