Igor Siqueira
15/02/2017
23:41
Rio de Janeiro (RJ)

Pintaram várias bolinhas nas redes do Globo. Culpa do Fluminense, que não teve piedade do time potiguar, venceu por 5 a 2 e conseguiu uma fácil classificação à segunda fase da Copa do Brasil. A principal pintura (o termo é insuficiente para descrever) foi de Gustavo Scarpa, que fez o “gol que Pelé não fez”. Antológico, inesquecível, digno de Prêmio Puskás.

E olha que para Scarpa virar protagonista do jogo só mesmo algo muito espetacular, já que o lateral-direito Lucas vinha roubando a cena: um gol, participação em mais dois e um pênalti sofrido.

Depois da tranquila jornada no Rio Grande do Norte, o Tricolor aguarda o vencedor de Sinop (MT) e Salgueiro (PE) para saber o próximo de adversário na competição.

O golaço de Scarpa veio coroar uma atuação muito segura do Fluminense, quase irretocável. Nada além do esperado, diante da fragilidade do adversário.
O Flu abriu o placar logo aos cinco minutos. Lucas viu que o lado esquerdo da defesa do Globo poderia ser a rota do ouro. O ótimo passe de Wellington deixou o lateral na cara do gol. Chance não desperdiçada.

A facilidade encontrada no primeiro gol se repetiu por diversas ocasiões. Por isso que Lucas deu origem aos dois gols seguintes do Tricolor. No segundo gol do Flu, ele cruzou para Henrique Dourado marcar. No terceiro, o forte chute de Lucas foi solto pelo goleiro Rafael. O Ceifador foi oportunista.

Quando Lucas sofreu um pênalti, ainda no primeiro tempo, ficou parecendo treino. Mas Sornoza acertou o travessão. Só para não contrariar a regra do “quem não faz leva”, o Flu foi surpreendido. Uma falha de marcação do próprio Lucas deu condições a Dênis, de peito, diminuir o placar. Àquela altura, 3 a 1.

Mas o Flu tratou de ampliar a vantagem logo no começo do segundo tempo. O artilheiro da vez foi Wellington, com um bonito chute.

Mas bonito é pouco para descrever o que fez Scarpa no quinto gol tricolor. Antes mesmo da linha central, ainda no campo de defesa, ele viu o goleiro adiantado e arriscou. Quem não arrisca não petisca. Quem não tenta de longe não faz o golaço, que entra para a história. O Barrettão, talvez, nunca tenha visto tamanha obra-prima.

O Globo até fez o segundo gol, com Gláucio. Ninguém ligou.

GLOBO-RN 2 X 5 FLUMINENSE
Local: Estádio Manoel Barretto, em Ceara-Mirim (RN)
Data/Hora: 15/2/2017, às 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Rogerio Pablos Zanardo e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Cartões amarelos: Pablo Oliveira, Geovane (GLO)
Gols: Lucas, 5'/2ºT (0-1); Henrique Dourado, 23'/1ºT (0-2), Henrique Dourado, 33'/1ºT (0-3); Dênis, 40'/1ºT (1-3); Wellington, 5'/2ºT (1-4); Gustavo Scarpa, 19'/2ºT (1-5); Gláucio, 28'/2ºT (2-5)

GLOBO: Rafael; Ângelo (Geovane, 25'/2ºT), Negretti, Jamerson, Renatinho Carioca; Leomir, Pablo Oliveira, Bismarck; Luizão (Gláucio, intervalo), Romarinho e Dênis (Renatinho Potiguar, 9'/2ºT). Técnico: Luizinho Lopes

FLUMINENSE:
Julio César (Marcos Felipe, 30'/1ºT); Lucas, Nogueira, Henrique (Reginaldo, 25'/2ºT) e Leo; Orejuela, Douglas, Gustavo Scarpa (Pierre, 30'/2ºT), Sornoza e Wellington; Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga.