Eduardo Bandeira de Mello

Eduardo Bandeira de Mello (foto: Wagner Meier)

LANCE!
05/04/2017
18:20
Rio de Janeiro (RJ)

O Flamengo publicou nesta quarta-feira o balanço financeiro referente ao ano de 2016. Os dados divulgados mostram que o clube registrou um superávit de R$ 153,4 milhões no ano passado, aumentando em R$ 23 milhões o lucro em relação ao ano anterior.

O Rubro-Negro registrou em 2016 um aumento muito significativo de receitas, fechando a temporada com R$ 510 milhões de arrecadação bruta.  Em 2015, a receita ficou em R$ 355 milhões.

O saldo foi positivo porque as despesas operacionais ficaram em R$ 191,8 milhões, um aumento de aproximadamente R$ 90 milhões em relação a 2015.

Além disso, o Flamengo registrou uma redução na dívida global: ela passou de R$ 447 milhões para R$ 390 milhões (queda de 13% em relação a 2015). Olhando apenas o endividamento financeiro, a queda foi de R$ 50,3 milhões de um ano para o outro. O valor caiu de R$ 161,9 milhões (2015) para R$ 111,5 milhões (2016).

O montante de receita foi impulsionado pelos valores oriundos dos direitos de transmissão. Se em 2015 o Fla ganhou R$ 127 milhões da televisão, as cifras chegaram a quase R$ 300 milhões (R$ 297,1 milhões, para ser mais exato) em 2016, graças ao novo contrato assinado com a Globo, que rendeu pagamento de luvas ao clube (R$ 120 milhões, ao todo, que serão recebidos em parcelas).

Os direitos de TV compensaram a perda de receitas em outros setores do futebol, como bilheteria (de R$ 43 milhões para R$ 39 milhões), patrocínio (de R$ 85 milhões para R$ 66 milhões) e sócio torcedor (de R$ 29 milhões para R$ 26 milhões). Todos registraram queda.

Números para lá e para cá, fato é que o Flamengo terminou o ano com R$ 12,5 milhões em caixa.