Fellipe Lucena
07/08/2016
17:54
São Paulo (SP)

O Palmeiras precisou superar uma espécie de prova olímpica para bater o Vitória por 2 a 1, no Allianz Parque, e retomar a liderança do Brasileirão após três partidas sem vencer. Foram "90 minutos com barreiras", com direito a goleiro estreando na temporada, pênalti perdido, dois centroavantes lesionados e até gol contra de Thiago Martins. Mas o time de Cuca superou tudo isso com gols de Barrios e Cleiton Xavier e chegou aos 36 pontos, ficando próximo de conquistar o Troféu Osmar Santos, oferecido pelo LANCE! ao campeão do primeiro turno do Brasileirão.


O primeiro obstáculo da tarde foi vencido com certa facilidade. Jailson, que ganhou a vaga de Vagner como substituto de Fernando Prass, fez uma grande defesa logo aos seis minutos e ganhou confiança para espalmar outras quatro bolas difíceis que chegaram à sua meta. Foi apenas o segundo jogo oficial dele pelo clube, o primeiro em 2016, e já com grande desempenho.

A segunda barreira apareceu de surpresa. Cleiton Xavier sofreu pênalti e Jean, que não desperdiçava uma cobrança desde 2012, cobrou nas mãos de Fernando Miguel. O Palmeiras era melhor até ali, mas insistia muito em jogadas de pivô com Leandro Pereira e penava para chegar ao gol.

Foi aí que um dos obstáculos acabou servindo de trampolim para a vitória. A preocupante lesão no joelho esquerdo de Leandro Pereira praticamente obrigou Cuca a lançar Lucas Barrios. O paraguaio abriu o placar aos 36 minutos do primeiro tempo, aproveitando confusão na área, e enfim parecia estar prestes a ter uma sequência. Além disso, foi o 100º gol da equipe no Allianz Parque.

Mas Barrios foi traído pela virilha assim que o segundo tempo começou, tendo de ser substituído por Rafael Marques aos cinco minutos. Sorte de Cuca que Cleiton Xavier, após cruzamento de Dudu, havia acabado de marcar o segundo gol do Palmeiras. Mais uma barreira superada.

O último desafio começou a aparecer quando Tchê Tchê deixou Euller chegar ao fundo como quis e bater cruzado. Jailson, desta vez azarado, rebateu em cima de Thiago Martins e acabou sendo vazado. Eram 29 minutos do segundo tempo, momento em que o Verdão ainda tentava assimilar a troca de Cleiton Xavier por Allione e mal ficava com a bola.

Mas o próprio Allione foi crescendo aos poucos, tornando-se peça importante para o time ficar bem perto de fazer o terceiro. Quando o Vitória se aproximou do segundo, Jailson foi brilhante. Os minutos finais se converteram em uma bagunça tática, com marcação frouxa dos dois lados, e os donos da casa terminaram comemorando.

O Corinthians, que tem 33 pontos e recebe o Cruzeiro nesta segunda-feira, é o único time que ainda tem chances de tirar o título simbólico do primeiro turno do Palestra Itália. Para isso, precisará vencer por pelo menos 3 a 0, já que a vantagem alviverde no saldo de gols é de 15 a 13.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 1 VITÓRIA
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 7/8/2016 - 16h
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC) e Helton Nunes (SC)
Público/renda: 30.330 pagantes/R$ 1.975.055,20
Cartões amarelos: Zé Roberto e Tchê Tchê (PAL), Victor Ramos, Euller, Kanu e Marinho (VIT)
Cartões vermelhos: -
Gols: Barrios (36'/1ºT) (1-0), Cleiton Xavier (4'/2ºT) (2-0), Thiago Martins (contra) (29'/2ºT) (2-1)

PALMEIRAS: Jaílson; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Allione, 24'/2ºT); Dudu, Erik e Leandro Pereira (Barrios, aos 25/'1ºT) (Rafael Marques, aos 5'/2ºT). Técnico: Cuca.

VITÓRIA: Fernando Miguel; Diego Renan, Victor Ramos, Kanu e Euller; José Welison (Serginho, aos 25'/2ºT), Willian Farias, Flávio (Vander, no intervalo) e Cárdenas (David, aos 36'/2ºT); Marinho e Kieza. Técnico: Vagner Mancini.