Thiago Ferri
09/09/2017
18:02
São Paulo (SP)

Duas expulsões, três pênaltis... Atlético-MG e Palmeiras foi qualquer coisa, menos monótono. Esta crônica do jogo no Independência parecerá a súmula de Leandro Vuaden, mas com tantos lances decisivos com participação da arbitragem, é inevitável citá-los neste empate em 1 a 1 que serviu pouco na tabela para as duas equipes.

No primeiro tempo, o Palmeiras começou melhor, mas o Atlético-MG logo passou a pressionar e acumular chances. Logo aos três minutos, Vuaden já teve de tomar a primeira decisão difícil, em chute de Willian. A bola desviou no braço do atacante Luan dentro da área do Galo, mas o juiz não deu pênalti. Minutos depois, apontou para a marca da cal corretamente, quando Egídio chegou atrasado e derrubou Alex Silva na área alviverde. Fred, há quase dois meses em jejum, parou na defesa sem rebote de Fernando Prass.


Quando o Verdão conseguiu, enfim, trabalhar uma jogada, acertou o contra-ataque do primeiro gol, com participação decisiva de Willian e chute preciso de Deyverson. Neste lance, a arbitragem teve vida mansa: foi só apontar para o meio-campo.

Mas menos de dez minutos depois, novo pênalti para o Galo, agora em puxão de Luan em Leonardo Silva, que resultou na expulsão do zagueiro palmeirense. Fábio Santos empatou depois de três minutos de reclamações palmeirenses – neste caso também houve infração.

Por incrível que pareça, com um a menos, o Verdão jogava melhor que o Atlético-MG na etapa final. Tanto que o time teve a chance do segundo gol. Leonardo Silva desviou a bola com a mão; pênalti (de novo!). Deyverson, cheio de ginga, bateu bem fraco e Victor colocou para fora.

Antes de sair, o camisa 16 ainda viu Fred cabecear a bola em sua mão e pedir mais um pênalti. Vuaden até sorriu, mas marcou a infração contra, o atleticano, em lance que poderia só ter mandado seguir o jogo.

Um dos últimos atos desta “súmula” foi o revide de Willian em Valdívia, que rendeu outro vermelho ao Palmeiras. Com dois expulsos, Cuca colocou Thiago Santos para segurar o empate e ainda teve duas chances em contragolpes, acredite! Moisés até pediu outra penalidade, mas não foi nada no lance. O Galo, na pressão, ainda trouxe perigo e Prass fez mais duas ótimas defesas.

Pelas circunstâncias, o Verdão ganhou um ponto, mas na prática o resultado é ruim. O time ainda é o quarto com 37, só que pode ser ultrapassado pelo Flamengo e ver a distância ao líder, na pior das hipóteses, chegar em 16 pontos. O Atlético-MG, com 30, ainda não consegue entrar no G6. Ao menos, chega a 13 partidas sem derrota para o Palmeiras, tabu que resiste desde 2011.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 1 PALMEIRAS
Local: Arena Independência, Belo Horizonte (MG)
Data-Hora: 9/9/2017 - 16h
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Jose Eduardo Calza (RS) e Mauricio Coelho Silva Penna (RS)
Público/renda: 15.672 pagantes/R$ 432.613,00
Cartões amarelos: Alex Silva, Leonardo Silva e Fred (AMG), Luan, Fernando Prass e Tchê Tchê (PAL)
Cartões vermelhos: Luan, aos 40'/1ºT (PAL), Vermelho Direto e Willian, aos 31'/2ºT (PAL), Vermelho Direto
Gols: Deyverson (33'/1ºT) (0-1), Fábio Santos (43'/1ºT) (1-1)

ATLÉTICO-MG: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Robinho, aos 12'/2º), Elias e Valdivia; Luan (Otero, aos 28'/2ºT), Cazares (Yago, aos 22'/2ºT) e Fred. Técnico: Rogério Micale.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Luan e Egidio; Jean (Thiago Santos, aos 36'/2ºT), Tchê Tchê, Moisés e Guerra (Juninho, aos 43'/1ºT); Willian e Deyverson (Dudu, aos 22'/2ºT). Técnico: Cuca.