Ricardo Goulart

Ricardo Goulart é destaque do Guangzhou Evergrande, da China - Foto: AFP

LANCE!
12/12/2017
17:35
São Paulo (SP)

Ricardo Goulart está decidido a deixar o Guangzhou Evergrande, da China, para jogar no Brasil. O Palmeiras, que tem interesse pelo meia-atacante de 26 anos há algum tempo, será forte candidato a contratá-lo se ele conseguir a liberação imediata.

- Eu tenho o sonho de jogar na Europa e acho difícil ir direto da China para lá. Também tenho o sonho de voltar à Seleção, então acho que o primeiro passo para tudo isso é voltar ao Brasil, mas consciente da realidade. Eles (dirigentes do clube chinês) estão sabendo. Temos que ir com calma, conversar devagar. Tenho novos projetos e desafios para 2018. Temos que ouvi-los e tentar resolver da melhor maneira - disse o jogador, ao "Globo Esporte".

Além da ótima condição financeira, o Palmeiras é favorito a contratar o jogador por ter Alexandre Mattos como diretor de futebol. Os dois trabalharam juntos no Cruzeiro, foram bicampeões brasileiros, e Goulart admite que isso pesa, embora não descarte outros clubes.

- Tenho uma grande amizade com o Alexandre. É um grande profissional, me deu um super apoio no Cruzeiro. Tivemos uma boa relação lá. Eu até posso chamá-lo de amigo. Pode-se dizer que sim (é um trunfo para o Palmeiras). Ele é um dirigente renomado, trabalha no Palmeiras, acho que as coisas têm que passar por ele. Caso o Palmeiras consiga me contratar, ele pode tomar a frente dessa negociação - disse ele.

Alexandre Mattos procurou Goulart ainda em setembro. Na época, o jogador estava decidido a permanecer na China ou a ir direto para o futebol europeu, e por isso recusou o convite. Mas o diretor do Verdão seguiu monitorando a situação à espera da mudança de ideia.


Além de Goulart, o Palmeiras tem conversas com Gustavo Scarpa, do Fluminense. O clube avalia se haverá espaço para todos no meio de campo, que nem é uma posição considerada carente no elenco, sobretudo após a chegada de Lucas Lima. Guerra, Raphael Veiga e Hyoran são as outras alternativas para a função, além de Moisés, que prefere jogar mais recuado.