River Plate (URU) x Palmeiras

Jean comemora o primeiro gol do Palmeiras no Uruguai (Foto: DANTE FERNANDEZ/AFP)

Fellipe Lucena
16/02/2016
23:43
São Paulo (SP)

Mudado por Marcelo Oliveira, o Palmeiras teve bons momentos e ficou à frente duas vezes, mas estreou na Libertadores com empate por 2 a 2 com o River Plate uruguaio, fora de casa. Resultado razoável, mas que não afasta a pressão ás vésperas do clássico contra o Santos, sábado. Agora são quatro jogos sem vencer, já que a equipe vinha de empates com São Bento e Oeste e da derrota para o Linense.

A estrutura tática do time foi modificada pela primeira vez no ano. Thiago Santos ganhou a vaga de Robinho para liberar Arouca, pela direita, e Jean, pela esquerda. Erik, substituto de Gabriel Jesus, tinha liberdade para se movimentar com Dudu e servir Barrios.


A julgar pelo lance do gol, a ideia era boa: Thiago Santos matou um contra-ataque e Dudu deu linda assistência para Jean fazer 1 a 0.

Mas Marcelo Oliveira, com razão, não se convenceu. O jogo ia bem até a intermediária, mas faltava aproximação na frente. Dudu e Erik carregavam muito a bola e pouco entregavam a Barrios, que também não ajudava muito...

Gabriel Jesus, no intervalo, e Alecsandro, aos dez minutos, entraram bem nas vagas de Erik e Barrios. Mas a postura mais agressiva do River no segundo tempo complicou a insegura defesa brasileira. Aos cinco, o jovem Schiappacasse, já vendido ao Atlético de Madrid, penetrou livre pela esquerda e foi derrubado por Prass: pênalti que Michael Santos, outro bom nome do limitado time uruguaio, bateu para empatar.

O Verdão voltou à frente aos 12 minutos, em mais um gol com a assinatura de seu pressionado técnico: em nova jogada destruída por Thiago Santos, Alecsandro deu uma bela assistência de peito para Gabriel Jesus, camisa 12, estufar a rede.

O enredo de uma vitória com ares saudosistas, tamanha a importância do número usado por Jesus na história do clube, esbarrou em mais um gol “ridículo” sofrido após cobrança de escanteio. Montelongo se soltou de Jean e cabeceou sozinho, aos 18.

Com Robinho no lugar de Arouca, o Palmeiras retomou o domínio e teve chances para vencer. Sobrou vontade. Faltou lucidez.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE (URU) 2 X 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Domingo Burgueño Miguel, Maldonado (URU)
Data-Hora: 16/2/2016 - 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)
Auxiliares: Francisco Mondria e Marcelo Barraza (CHI)
Público/renda: Não divulgados
Cartões amarelos: Ángel Rodríguez e Cristian González (RIV), Zé Roberto, Roger Carvalho, Lucas e Fernando Prass (PAL)

Gols: Jean (34'/1ºT) (0-1), Michael Santos (5'/2ºT) (1-1), Gabriel Jesus (12'/2ºT) (1-2), Montelongo (18'/2ºT) (2-2)

RIVER PLATE (URU): Nicola Pérez; Cristian González, Ronaldo Conceição, Dario Flores e Agustín Ale; Ángel Rodríguez, Montelongo e Diego Rodríguez; César Taján (S. Ribas, aos 37'/2ºT), Michael Santos (A. Rosso, aos 43'/2ºT) e Nicholas Schiappacasse. Técnico: Juan Ramón Carrasco.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Arouca (Robinho, aos 21'/2ºT) e Jean; Dudu, Erik (Gabriel Jesus, no intervalo) e Barrios (Alecsandro, aos 12'/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira.