Climão Allianz

Torcida do Palmeiras no entorno do Allianz Parque no último domingo, contra o Botafogo (Foto: Fellipe Lucena)

LANCE!
25/11/2016
18:15
São Paulo (SP)

O técnico Cuca posicionou-se contra o cerco feito pela Polícia Militar ao Allianz Parque em dias de jogos do Palmeiras e ainda foi além: sugeriu que no domingo, dia da partida contra a Chapecoense, que pode dar o título brasileiro ao clube, seja instalado um telão para os torcedores que ficarem fora da arena. A PM, entretanto, já avisou que a Rua Palestra Itália será fechada às 9h do domingo.

- A minha opinião, posso até ir contra todo mundo, é que se houvesse bom senso, fechava a rua e colocava um telão para quem ficou fora. Se colocassem 500 mil ingressos, iriam vender todos. Acho que aquela imediação deveria ficar para o torcedor. É um dia atípico, um dia em 22 anos. Fica até um pedido meu para a Polícia. Acho que até evitaria alguma coisa se isso ocorresse - disse o treinador, após o treino desta sexta.

O pedido de Cuca, porém, está bem distante da realidade dos últimos jogos. Sob a justificativa de evitar confusão, reduzir o número de furtos de carteiras e celulares e coibir o comércio ilegal, a Polícia Militar, em ação conjunta com o Ministério Público, só tem permitido que torcedores com ingresso em mãos acessem as ruas próximas ao Allianz Parque em dias de jogos. A estratégia será repetida no domingo. 

Paulo Nobre, presidente do Verdão, tem opinião bem diferente. Ele já elogiou mais de uma vez a medida das autoridades.

No domingo passado, contra o Botafogo, a verificação fez com que os palmeirenses fizessem fila para conseguirem acessar a Rua Palestra Itália. Quando a bola rolou, porém, foi possível ver muitos torcedores acompanhando a partida nos bares da região, dentro da área cercada.