LANCE!
17/10/2016
12:23
Rio de Janeiro (RJ)

Uma decisão importante foi tomada pela CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA). Segundo comunicado oficial enviado na manhã desta segunda-feira, o uso do replay instantâneo será permitido em eventos regularizados pela entidade no país. O recurso será usado apenas para ocasiões que gerarem dúvidas quanto ao desfecho de um combate, golpe ilegal ou possível desistência de um atleta, caracterizando a necessidade de confirmação sobre a "sequência final do combate".

Desde que voltou ao Brasil, em 2011, o Ultimate já realizou dezenas de eventos no país, e em muitos shows resultados polêmicos chamaram a atenção da comissão. Erros de arbitragem, golpes ilegais, interrupções precoces. 

A decisão foi aprovada pela Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) nesta segunda-feira. As diretrizes foram definidas sob a supervisão do árbitro Big John Mc Carthy, membro afiliado à CABMMA e Diretor Técnico da Association of Boxing Commissions (ABC). A nova ferramenta é válida a partir da presente data. Logo, o recurso estará disponível para o UFC São Paulo, que acontece no dia 19 de novembro, no ginásio do Ibirapuera.

Confira o comunicado da CABMMA na íntegra:

"O uso do Replay Instantâneo no MMA deve ser definido nos parâmetros que asseguram a igualdade na competição e um resultado adequado ao final do combate. O uso do Replay Instantâneo pode não ser possível em eventos menores que não estejam sendo gravados ou que não disponibilizem as imagens adequadas para a Comissão.

Devido às complexidades envolvidas no MMA, o árbitro só pode usar o Replay Instantâneo quando sentir que a "Sequência Final do Combate" tenha sido causada possivelmente por uma ação ilegal (falta), seja intencional ou não intencional. Em tal momento o árbitro, e somente o árbitro, pode pedir uma revisão dos últimos momentos do combate. Uma vez que revisto o replay, o árbitro pode confirmar ou não se uma falta foi cometida e tenha provocado o término do combate na sequência, tomando as medidas apropriadas. Deve-se notar que o Replay Instantâneo não é para ser usado para avaliar as ações do árbitro.

Exemplos disso incluem:

1. O Combate foi interrompido no momento certo?
2. Houve um “tapout”?
3. Um lutador cometeu uma falta, mas que não trouxe um fim ao combate?


Se um árbitro utilizar o Replay Instantâneo, as informações obtidas a partir do replay não podem ser usadas para reiniciar o combate, já que ele foi oficialmente declaro por encerrado.

A única finalidade do Replay Instantâneo no MMA é permitir que o árbitro faça o correto e justo na hora de definir o resultado final do combate, decidindo:
1. O vencedor da luta;
2. Levar o combate para os scorecards dos juízes, para uma decisão técnica; (dependendo do
round em que combate tenha sido encerrado);
3. Se o combate será um "No Contest";
4. Desclassificação."