Rooney

O Manchester United entra como favorito ao título neste sábado (Foto: AFP)

RADAR/LANCE!
20/05/2016
17:43
Londres (ING)

A final da Copa da Inglaterra, neste sábado, será uma interessante recriação da final de 1990, uma decisão considerada um confronto épico dentro da riquíssima história desta competição, iniciada em 1871. Novamente jogarão Manchester United e Crystal Palace em Wembley, mas ainda há muito trabalho a ser feito se quiserem repetir ou alcançar o drama gerado no encontro realizado no século passado.

O apelo romântico do jogo inicial, devia-se parcialmente, ao fato de Crystal Palace ser um clube menor do Sul disputando um jogo contra todo o poder de um grande time do vindo de Norte, tradicionalmente a região mais forte em futebol inglês. Na época, o Crystal Palace era mais conhecido pela utilização de sua arena - , em uma era prévia à construção de Wembley, do que por suas conquistas dentro do futebol. No período compreendido entre 1894 e 1914, 20 finais da Copa foram realizadas por lá. 


Crystal Palace era originariamente um espaço de exposições construído em ferro e vidro. Inicialmente erguido em Hyde Park, no centro de Londres, destinava-se a acomodar a Grande Exposição Industrial de 1851. Em 1854, após o término da exposição, o edifício foi removido para um novo parque na zona sul de Londres, Sydenham Hill. Entretanto, em 1936 um trágico incêndio destruiu suas instalações originais.

Assim, a história do país é entrelaçada à história do time de futebol Crystal Palace o qual também já foi obrigado a trocar seus locais de jogos a partir de Primeira Guerra Mundial. O espaço foi transformado no Centro Nacional de Esportes o qual foi aproveitado pelo COB para preparação para os Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

Nem mesmo a realeza atrelada ao “Palace” foi suficiente para superar “Manchester United”. No final da Copa de 90, o famoso time, também conhecido como “Red Devils”, chegou com sua superioridade histórica. Manchester United já havia sido consagrada no passado através dos lendários "Busby Babes" da década de 50, bem como pelo time composto por Best, Charlton e Law o qual levantou a taça da Liga dos Campeões em 1968.

Entretanto, a partir de 68, o clube conheceu uma queda desastrosa ,culminando com um rebaixamento em 1974. Ao mesmo tempo, o time sofre ao assistir o crescimento de rival regional Liverpool. O United não consegue sequer montar um time capaz de reconquistar a liga domestica.

O time jogou vistoso futebol sob o comando de técnicos como Tommy Docherty, e Ron Atkinson, mas foi considerado um time de Copas, mais adequado para competições do tipo “mata-mata”. Entre 1976 e 1986, United foi campeão da Copa da Inglaterra três vezes e ficando por mais duas ocasiões com o vice. Entretanto, a partir de 1986, o time inicia uma árida “seca” de escassez de títulos por quatro temporadas. Por este motivo, a final de 1990 poderia ser descrita como um jogo de vida ou morte para Alex Ferguson, o ex-técnico de Aberdeen que testou a paciência da torcida e dos cartolas de Old Trafford após o longo período sem troféus.

A partida foi um grande confronto com o placar de 3x3 depois da prorrogação e com direito a um segundo jogo (replay). Ian Wright, um atacante do Crystal Palace que tinha acabado de recuperar de uma fratura na perna, saiu do banco, marcou dois gols, frustrando assim o United e iniciando uma carreira que incluiria times como Arsenal e a própria seleção inglesa. Nada mal para um malandro londrino que só entrou no futebol profissional poucas semanas antes de completar 22 anos. Também para o o técnico de Crystal Palace, Steve Coppell, o jogo foi emocionante. Isto porque Coppell firmou sua carreira como jogador, dentro do United, e agora, como técnico, retornava para enfrentar o antigo clube.

Por achar que o goleiro escocês Jim Leighton foi responsável por pelo menos um dos gols sofridos por Manchester no primeiro jogo, Ferguson mergulhou em uma polêmica, ao afastar Leighton de segundo jogo. A controvérsia foi causada em grande parte porque Leighton era um experiente, goleiro da seleção escocesa e até aquele era considerado como homem de confiança de Ferguson.

A vitória do United vindicou e salvou a carreira de Ferguson no Old Trafford e destacou suas qualidades como técnico frio e calculista, quando necessário. Leighton só atuaria mais uma vez para o United. Para Ferguson, essa vitória consolidou sua carreira, abrindo caminho para muitos outros títulos. A partir desse momento, ele vem a para comandar os Diabos Vermelhos por mais de 20 anos, conquistando títulos nacionais, europeus e suplantando Liverpool para muito tempo como clube inglês predominante.

A Copa de 1990 pode ser considerada um divisor das águas: poucas finais desde esse período têm o mesmo impacto: o grande jogo de Liverpool e West Ham é mais a exceção que a regra. Clubes ingleses começaram a dar mais valor ao Campeonato Inglês dada a possibilidade de serem classificados para Liga dos Campeões em quarto lugar da competição.

Realmente a Final de 90 foi mais importante para Ferguson individualmente, do que para o restante do seu time já que a maioria dos jogadores não viria a participar nas conquistas seguintes. Na verdade do ponto de vista da formação de um time mais estável, a Final de Youth Cup de 1992 foi mais relevante, pois propiciou o surgimento do grupo que veio a formar a base de sucesso de Manchester United por no mínimo dez anos . O time de aspirantes dos quais participaram, Beckham, Butt, Giggs e Neville dentre outros.

Nos próximos anos United concentrou os esforços em dominar a nova Premier League, acabando com a rica tradição de participações na Copa. Ha paralelos entre as Finais de 1990 e 2016. Assim como Ferguson, Van Gaal também tem problemas em se relacionar com um goleiro. Atualmente, De Gea ameaça sair caso o holandês continue no Old Trafford após o fim da temporada.

Assim como há 26 anos, United entrará como favorito neste sábado, mas, pela idade e ate agora as fortunas dele com United , é quase impossível acreditar que Van Gaal curtirá uma “experiência Ferguson” a partir de sábado. Nem mesmo erguer troféu fará com que Van Gaal permaneça no comando do Old Trafford para tanto tempo. Para o holandês, a vitória é mais uma questão de orgulho profissional, do que propriamente ficar em Manchester.

O Crystal Palace atua de novo como azarão, mas um primeiro título para um time com um nome inspirado no século 19 seria um desfecho perfeito para uma competição que surgiu no reino da Rainha Vitória. Uma vitória de Palace não seria igual o trunfo surpreendente de Leicester, mas pode ajudar a trazer a lembrança o brilho tradicional da Copa da Inglaterra.