LANCE!
13/08/2017
12:03
Londres (ING)

É bronze! Nesta manhã de Dia dos Pais, o brasileiro Caio Bonfim deu um presente a todos os pais amantes de atletismo. No último dia do Mundial de Atletismo de Londres, o natural de Brasília conquistou a primeira medalha verde e amarela na competição. 

Nos 20km da marcha atlética, Caio concluiu a prova em 1h19min04s, quebrou o recorde nacional e ficou com a terceira colocação. O campeão foi o colombiano Eider Arévalo (1h18min53) e a prata ficou com o russo - que compete com bandeira neutra - Sergei Shirobokov (1h18min55s). Bonfim entra para a história da prova ao conquistar o melhor resultado verde e amarelo da história dos Mundiais (entre homens e mulheres).

Caio fez uma largada ruim e passou metade da prova na 14ª colocação. O atleta, porém, teve uma incrível recuperação e, nos 5km finais, já era o quinto colocado. Ele alcançou o pódio no último quilômetro, quando aumentou o ritmo da marcha.

- Foi uma prova muito difícil. Começou com um ritmo muito forte e achei que ninguém iria aguentar. Preferi manter o que tinha treinado, o que deu certo. Ainda não caiu a ficha, mas tenho muito a agradecer a minha família, que me dá todo o apoio - comentou com a bandeira do Brasil nas costas.

O pai João Sena e a mãe Gianetti Bonfim são seus treinadores e acompanham o atleta, que defende o CASO (DF), em todas as competições.

Está é a primeira medalha do atleta de 26 anos em Mundiais. Caio também foi o terceiro colocado no Pan de Toronto-2015 - primeira medalha brasileira na marcha atlética masculina na competição desde o bronze de Marcelo Palma em Havana-1991. Na Rio-2016, o atleta acabou na quarta colocação e não subiu ao pódio por cinco segundos - este foi o melhor resultado da história do país. 

Erica Sena termina em quarto


Na disputa dos 20km da marcha atlética, a brasileira Erica Sena foi a quarta colocada e, por 23 segundos, não subiu ao pódio. Enquanto a pernambucana concluiu a prova em 1h26min59s, a medalhista de bronze, a italiana Antonella Palmisano, cruzou a linha de chegada em 1h26min36s. O ouro ficou com a chinesa Jiayu Yang (1h26min18s) e a prata foi conquistada pela mexicana Maria Guadalupe González (1h26min19s).

O quarto lugar de Erica é o melhor resultado brasileiro nas marcha atlética em mundiais entre mulheres. O resultado também estabelece um novo recorde sul-americano e a melhor marca da carreira da atleta.

- O objetivo era a medalha e fiquei muito perto. O outro era melhorar minha marca e consegui. Planejei tudo para chegar na minha melhor forma no Mundial. A marcha vem evoluindo bastante, é um resultado bom para o Brasil e para a marcha. Espero que as pessoas possam conhecer um pouco mais a modalidade -disse Érica, que foi a sexta colocada no Mundial de Pequim-2015 e a sétima na Olimpíada do Rio-2016.

- Eu poderia muito mais, mas devido às plaquinhas na última volta, eu decidi não arriscar e ser desqualificada. É melhor frear um pouco e chegar mais atrás. Infelizmente, a marcha é assim - completou.

50km feminina estreia no Mundial

Nos 50 km marcha atlética feminina, que foram disputados pela primeira vez no Campeonato Mundial, a catarinense Nair da Rosa terminou em quinto lugar. O seu tempo não foi registrado porque ela não completou a distância e a prova foi interrompida pelos organizadores.

- A prova foi fantástica. Não consegui desenvolver o ritmo desejado, mas estou feliz por estar entre as pioneiras e disputar a primeira prova dos 50 km em um Mundial - comentou a atleta  treinada por Sergio Galdino.

A portuguesa Inês Henriques garantiu o ouro, com 4h05min56s, novo recorde mundial. Já as chinesas Hang Yin e Shuqing Yang ficaram com a prata e o bronze, com 4h08min58s (recorde asiático) e 4h20min49s, respectivamente.