Ministro do Esporte, George Hilton (Foto: Divulgação)

George Hilton deixa o governo de Dilma Rousseff (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
23/03/2016
10:18
Brasília (DF)

Deputado federal pelo PROS-MG, George Hilton não é mais ministro do Esporte. A decisão foi anunciada na manhã desta quarta-feira. No cargo desde o início de 2015, quando assumiu a vaga deixada por Aldo Rebelo, ele será substituído interinamente por Ricardo Leyser, de 45 anos, do PC do B, que ocupa o posto de secretário-executivo do Ministério.


Agora, Hilton voltará à Câmara dos Deputados para continuar exercendo seu mandato. Para se manter no cargo de ministro, ele havia trocado seu antigo partido, o PRB, para se filiar ao PROS, na semana passada.

Quando aceitou a mudança, Hilton se recusava a tomar posição em favor do PRB, antes favorável impeachment de Dilma Rousseff. Agora, a presidenta e o antigo partido do ex-ministro se reaproximaram, o que acabou forçando a saída dele da pasta.

A paz entre PRB e o Governo foi selada na terça-feira, quando o partido pediu o ministério de volta à legenda, o que pode acontecer em breve.

PRB NEGA VOLTA AO MINISTÉRIO E REAPROXIMAÇÃO COM O GOVERNO

No fim da manhã desta quarta, o PRB, em nota assinada pelo seu presidente, Marcos Pereira, negou que vá retornar ao governo de Dilma Rousseff.  Confira a nota divulgada pelo Partido Republicano Brasileiro: 

"Diferente do que tem sido publicado em blogs e sites de notícias, o PRB não voltará à base do governo Dilma e continuará independente. Essas ilações irresponsáveis e mentirosas são tentativas desesperadas de comprometer a imagem do partido e criar desconforto na relação entre os parlamentares. Diante disso, os três secretários indicados pelo partido – Marcos Jorge, Rogerio Hamam e Carlos Geraldo – já colocaram os respectivos cargos à disposição. Eles permanecem nos cargos aguardando a indicação dos substitutos para que o trabalho não seja prejudicado. O PRB espera que tão logo o novo ministro seja empossado, proceda a exoneração dos mesmos.

Mais uma vez reiteramos o que já foi dito: o PRB não faz mais parte da base de apoio do governo Dilma Rousseff e continuará atuando de forma independente no Congresso Nacional.

Lamentamos muito que setores da imprensa sequer procuraram o PRB para ouvir o outro lado, elemento fundamental do bom jornalismo".