(Foto: Getty Images)

Davi Ramos vem embalado por três vitórias consecutivas e voltar a lutar neste sábado (Foto: Getty Images)

TATAME
16/05/2019
15:30
Rochester (EUA)

Por Mateus Machado

A estreia com derrota para Serginho Moraes, definitivamente, ficou para trás. Davi Ramos vem de três vitórias consecutivas no Ultimate e, neste sábado (18), vai em busca da quarta, quando terá pela frente o estreante Austin Hubbard no card do UFC Fight Night 152, que será realizado em Rochester, Nova York (EUA).

Vindo de três vitórias por finalização, o faixa-preta sabe da eficiência do seu Jiu-Jitsu e como sua técnica no jogo de chão é temida pelos adversários. Desta forma, Davi não acredita que Austin, ex-campeão do evento LFA, busque a luta de solo ao ver o brasileiro pela frente

- Eu tenho um Jiu-Jitsu completamente diferente de 99% da minha categoria no UFC, então são pouquíssimos atletas que tem o Jiu-Jitsu com o mesmo calibre que o meu, não creio que ele ou outro atleta vá fazer luta de chão comigo. Mas luta é luta, então tudo pode acontecer - disse o lutador, em entrevista à TATAME.

Confira a entrevista completa com Davi Ramos:

-Sequência positiva no UFC

Tive aquela derrota controversa na estreia, numa categoria que não era a minha, depois desci para a minha divisão e já são três vitórias consecutivas, estou me sentindo muito bem e pronto para conseguir a quarta vitória. Não espero nada diferente disso.

-Análise do adversário

O Austin é um wrestler, mas hoje em dia todo atleta, em sua maioria, treina de tudo. Acho que, a princípio, ele não vá fazer um jogo grudado comigo, de Wrestling, como a maioria dos atletas que vem lutar comigo, que procuram fazer um jogo diferente primeiro. Apesar de ser a estreia dele, é um atleta que vem se preparando há um tempo, que vem de um evento grande (LFA) como um campeão, teve dois meses para se preparar, então estou esperando uma luta de altíssimo nível.

-Adversários evitando luta de chão

Eu não acredito que ele vá para a luta de chão comigo. Eu tenho um Jiu-Jitsu completamente diferente de 99% da minha categoria no UFC, então são pouquíssimos atletas que tem o Jiu-Jitsu com o mesmo calibre que o meu, não creio que ele ou outro atleta vá fazer luta de chão comigo. Mas luta é luta, então tudo pode acontecer.

-Crescimento no ranking e boa sequência rumo ao Top 10

É uma coisa que eu penso desde a minha primeira luta no UFC (risos). Eu sempre lutei para ser vencedor em qualquer evento, e no UFC não é diferente. A minha categoria é muito disputada, com muitos nomes bons, e com certeza, eu vencendo no sábado, acredito que posso enfrentar um atleta ranqueado na próxima luta. Eu já venho pedindo isso desde a minha segunda luta, mas eu entendo que tudo é um processo e eu estou nele. O maior importante é eu vencer, fazer a minha parte e continuar subindo. Esse ano eu quero me focar mais no MMA e lutar mais vezes. Espero poder vencer no sábado e, quem sabe, fechar o ano com seis vitórias, para em 2020, possivelmente, almejar coisas grandes na organização.

-Planos em relação ao Jiu-Jitsu

Está um pouco fora dos meus planos. Eu devo fazer algumas lutas casadas de Jiu-Jitsu esse ano, porque quero me manter ativo e lutando em alto nível. Esse é o meu objetivo e eu não quero perder a minha origem, que é o Jiu-Jitsu. Mas o meu foco total esse ano é o MMA e crescer mais e mais no UFC.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 152
Sábado, 18 de maio de 2019
Rochester, em Nova York (EUA)

Card principal

Peso-meio-médio: Rafael dos Anjos x Kevin Lee
Peso-meio-médio: Vicente Luque x Derrick Krantz
Peso-galo: Aspen Ladd x Sijara Eubanks
Peso-médio: Antônio Cara de Sapato x Ian Heinisch
Peso-leve: Charles do Bronx x Nik Lentz
Peso-leve: Davi Ramos x Austin Hubbard

Card preliminar
Peso-pena: Megan Anderson x Felicia Spencer
Peso-pena: Mike Trizano x Grant Dawson
Peso-leve: Desmond Green x Charles Jourdain
Peso-meio-pesado: Patrick Cummins x Ed Herman
Peso-meio-médio: Danny Roberts x Michel Pereira
Peso-médio: Zak Cummings x Trevin Giles
Peso-pena: Julio Arce x Julian Erosa