(Foto: Getty Images)

Nicco Montaño foi hospitalizada com problemas renais e não compareceu à pesagem do UFC 228 (Foto: Getty Images)

TATAME
11/09/2018
13:11
Rio de Janeiro (RJ)

Nicco Montaño tinha tudo para ser o "centro das atenções" no UFC 228, realizado no último sábado (8), em Dallas (EUA), no entanto, acabou se tornando assunto pelo o que ocorreu fora do cage. No dia anterior à sua luta contra Valentina Shevchenko, onde colocaria o seu título peso-mosca em jogo, a campeã do TUF 26 passou mal, foi hospitalizada e não compareceu à pesagem para o evento. O Ultimate, então, em uma atitude polêmica, decidiu retirar o cinturão da americana, deixando o título vago.

Hospitalizada com problemas renais durante o corte de peso para lutar contra Valentina, Montaño tinha todos os motivos do mundo para se lamentar, todavia, viu a situação piorar ao saber, pelas redes sociais, que o presidente do UFC, Dana White, declarou que havia retirado seu título.

- Eu estava olhando o Instagram e vi uma entrevista do Dana White dizendo que o meu título foi retirado. Eu estava saindo do hospital e estava tipo: 'Então tá'. Estava muito triste. Não queria me envolver com qualquer coisa do UFC por um tempo. Meu pavio curto estava tipo, sem chance. Você quase morreu por uma companhia que nem sequer liga para saber se você está viva. Pessoalmente eu estava tipo, dane-se - disparou Montaño, em entrevista ao MMA Fighting, questionando ainda a discrepância do Ultimate em lidar com o caso, já que outros campeões já tiveram lesões ou não puderam lutar, e a organização não tomou a mesma atitude.

- Eu acredito que não é justo, eu acredito que não seja justo o jeito que foi feito, comigo descobrindo o que aconteceu pelo Instagram. Também o jeito inconsistente que eles trataram isso. Eles fizeram tantos campeões interinos. Existiram tantos campeões interinos que ganharam cinturões por motivos médicos, motivados por contusões. Não há uma consistência. Então no que devemos confiar? - questionou a lutadora.

Montaño se manifesta também nas redes sociais

Agora ex-campeã peso-mosca do UFC, Nicco Montaño também utilizou as redes sociais para fazer um longo comunicado sobre o ocorrido. Através da publicação, a lutadora, mais uma vez, deixou clara sua insatisfação com a atitude tomada pelo UFC e se posicionou sobre as declarações feitas por Valentina Shevchenko, que a acusou de "fugir da luta".

- Quero agradecer a todos os meus apoiadores, infelizmente minha primeira vez falhando no peso significa a perda do meu título pelo qual trabalhei duro. E se você me perguntar, achei completamente desnecessário, tem tido muitos outros lutadores que não foram punidos por muito mais. Infelizmente, não sou uma falastrona, então não trago muito dinheiro.

Parei de suar cedo, meus rins pararam, e eu tinha um desequilíbrio de eletrólitos, meus níveis de sódio estavam muito altos. Quando cheguei ao hospital, o médico me disse que parar foi a melhor ideia, e que se tivesse esperado mais 30 minutos poderia ter tido problemas cardíacos. Mesmo assim, não tive intenção de abandonar a luta. Eu parecia bem nos treinos abertos porque tinha toda a intenção de dominar a luta. Houve várias ocasiões em que os atletas após o show do TUF tiveram o metabolismo prejudicado. Demora um pouco mais para que seu corpo volte ao peso normal. No meu caso foi a junção de fraqueza e lesão.

Sabendo disso, pedi por uma luta em outubro, e havia algumas pessoas ao meu lado também pedindo isso em meu nome. Entretanto, o matchmaker e quem quer que seja me ofereceram apenas a data de setembro para escolher. Então, sem nenhuma outra escolha e com a internet apoiando uma bully mentirosa (Valentina Shevchenko), fui forçada a aceitar a data ou sofrer a ameaça de ter o título retirado de qualquer forma. Foi a única vez que assinei um contrato.

Então as declarações desta egomaníaca são completamente falsas e não estão nem perto da verdade. A ideia de realidade dela é tão fantasiosa que o fato de que ela treinou para me enfrentar três vezes deve significar algumas coisas: que ela é obcecada por mim e que tem muito tempo livre. Ela não só foi desrespeitosa e teve inveja de meus esforços e conquistas, como também me bloqueou no Instagram em sua primeira luta com 57kg. Mas o fato de que ela sente orgulho em chutar uma pessoa que estava passando por cirurgia e tendo seus rins parando de funcionar demonstra o que um artista marcial não deve ser.

Fiz tudo o que pude para bater o peso no tempo que me foi oferecido, não tive escolha a não ser fazer isso. Por sorte, tenho um documentário sendo feito seguindo todo este processo e logo estará disponível para que todos possam testemunhar por si mesmos.

Quando você está preso entre uma rocha e um lugar duro, você levanta os seus punhos, e é exatamente o que eu faço e continuarei a fazer.

O plano, por enquanto, é ser capaz de viver num estilo de vida saudável para manter a longevidade da minha carreira e sustento. Até que eu possa adaptar com confiança meu corpo e andar com um peso mais leve, continuarei fazendo tudo o que puder no sentido de tornar as vidas indígenas importantes, e elas não serão silenciadas pelas das ações erradas que têm sido estabelecidas não apenas com meu povo, mas também comigo. Nunca experimentei trabalhar com uma adversária tão insensível e desrespeitosa. Você pode ter certeza que voltarei para fazer minha marca e recuperar meu cinturão - .


Quer ficar por dentro do mundo da luta? Clique e acesse o site da TATAME!