(Foto: Getty Images)

Embalado por quatro vitórias consecutivas no UFC, Vicente Luque entra em ação neste sábado (Foto: Getty Images)

TATAME
18/05/2019
11:10
Rochester (EUA)

Por Diogo Santarém

O peso-meio-médio Vicente Luque foi pego de surpresa nesta semana com a notícia do doping de Neil Magny, seu adversário inicial para o UFC Fight Night 152, que acontece neste sábado (18), em Rochester, Nova York (EUA). O Ultimate, porém, agiu rápido e anunciou Derrick Krantz, ex-lutador do LFA, como novo rival do brasileiro.

Porém, se para muitos a mudança de última hora pode representar um certo desespero, para Luque foi algo natural. Em entrevista à TATAME, o brasileiro garantiu que sua primeira preocupação ao saber da notícia era em continuar no card, e chamou a responsabilidade.

- A princípio eu fui pego de surpresa, não esperava que o Magny fosse sair da luta. Mas a minha maior preocupação foi em não lutar, então assim que o UFC conseguiu um substitui eu fiquei bem aliviado, animado, porque eu queria lutar. A minha preparação foi ótima, o camp, tudo, então estou feliz por poder lutar. A estratégia muda um pouco, principalmente por causa do biotipo do Derrick. Ele não é um cara tão alto como o Magny, não é tão longo, então isso muda. Mas no geral é entrar lá e fazer meu jogo - disse, complementando.

- Em todas as minhas lutas eu já chamo a responsabilidade pra mim, então independente de estar enfrentando um cara que é o favorito ou não, eu tento sempre assumir essa responsabilidade e entrar lá para vencer. Eu luto para conquistar o meu objetivo, então não importa quem eu estou enfrentando, a mentalidade é a mesma. Não sinto pressão, é muito mais motivação pra mim do que qualquer outra coisa - afirmou o lutador.

Confira outros trechos da entrevista com Vicente Luque:

-Análise do jogo do Derrick Krantz

Eu não conhecia ele, mas consegui assistir várias lutas. Ele é um cara que vem do Wrestling, então usa muito isso nas lutas, tem mãos pesadas também, um estilo agressivo. Imagino ele começando a luta vindo para a trocação, pra cima, e depois buscando o Wrestling. De certa forma era o que eu já esperava do Magny, então nesse sentido não muda muito. Eu treinei bastante Wrestling também, somos dois atletas agressivos, então imagino uma boa luta para os fãs, com bastante movimentação.

-Futuro no ranking em caso de vitória

Eu imaginava uma vitoria sobre o Magny me alavancando bastante (na divisão), mas ao mesmo tempo, essa luta, se eu não lutasse, ia ficar estacionado. Porém, aceitar esse novo desafio mostra mais uma vez o que eu venho fazendo na categoria, qual é o meu objetivo. Por isso imagino que, conseguindo uma vitória no sábado, eu com certeza vou estar mais próximo de entrar no Top 10, de enfrentar alguém de lá. Meu objetivo é lutar com os caras que estão no topo, os melhores do mundo, e isso não muda.

-Análise da divisão dos meio-médios

Hoje, no momento, é uma das categorias mais movimentadas do UFC, principalmente pelo pessoal que está subindo de 70kg (peso-leve) pra 77kg, eram caras ranqueados vindo de baixo e chegam aqui assim. O pessoal dos leves vem com gabarito. Vejo isso como algo desafiador, os olhos estão na categoria, então sobe o nível de todo mundo.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 152
Rochester, em Nova York (EUA)
Sábado, 18 de maio de 2019

Card principal

Peso-meio-médio: Rafael dos Anjos x Kevin Lee
Peso-médio: Antônio Cara de Sapato x Ian Heinisch
Peso-pena: Megan Anderson x Felicia Spencer
Peso-meio-médio: Vicente Luque x Derrick Krantz
Peso-leve: Charles do Bronx x Nik Lentz
Peso-leve: Davi Ramos x Austin Hubbard

Card preliminar
Peso-galo: Aspen Ladd x Sijara Eubanks
Peso-leve: Desmond Green x Charles Jourdain
Peso-meio-médio: Danny Roberts x Michel Pereira
Peso-pena: Mike Trizano x Grant Dawson
Peso-meio-pesado: Patrick Cummins x Ed Herman
Peso-médio: Zak Cummings x Trevin Giles
Peso-pena: Julio Arce x Julian Erosa