(Foto: Getty Images)

Daniel Cormier afirmou que enfrentaria Maurício Shogun pelo título dos meio-pesados (Foto: Getty Images)

TATAME
10/07/2018
14:21
Rio de Janeiro (RJ)

Ao sair vencedor contra Stipe Miocic no UFC 226, realizado no último sábado (7), e se tornar campeão de duas categorias da organização, Daniel Cormier desafiou Brock Lesnar e os dois lutadores, além de trocarem provocações e empurrões, deixaram claro para o público que vão disputar o cinturão peso-pesado do Ultimate. No entanto, a realidade do momento mostra que Lesnar, ex-campeão do UFC e astro do WWE, se encontra potencialmente impedido de lutar até janeiro de 2019, pois em 2016, foi flagrado no exame antidoping na luta contra Mark Hunt, pelo UFC 200, e após cumprir suspensão, anunciou sua aposentadoria do MMA para retornar ao Wrestling profissional.

Para que possa voltar ao MMA, o gigante americano precisaria passar por seis meses de exames antidoping realizados pela USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos), que é responsável por controlar os atletas para que não façam uso de substâncias proibidas. Já que Lesnar, em tese, só luta no ano que vem, Daniel Cormier revelou a chance de defender o seu título na divisão dos meio-pesados antes de enfrentar o astro do WWE, e citou o brasileiro Maurício Shogun, como um dos principais postulantes a ser seu próximo desafiante.

- Eu lutaria com o Shogun (risos). É sério, eu lutaria com ele antes de enfrentar o Lesnar. Eu respeito o Shogun, ele é uma lenda e vem de vitórias seguidas. Lutaria com ele e depois com o Brock Lesnar em março, e aí estaria aposentado - disse Cormier, em entrevista ao podcast "Ariel Helwani's MMA Show".

Vindo de três vitórias consecutivas, Shogun entra em ação no próximo dia 22 de julho, quando enfrenta Anthony Smith pelo UFC Hamburgo. Caso vença, o brasileiro se aproxima de uma disputa de título nos meio-pesados, todavia, Alexander Gustafsson, primeiro colocado no ranking da divisão, enfrenta o suíço Volkan Oezdemir no dia 4 de agosto, pelo UFC 227, e um triunfo do sueco o deixa bem próximo de um novo title shot. Cormier, no entanto, afastou a possibilidade de enfrentar Gustafsson novamente, como aconteceu em 2015.

- Ele (Gustafsson) ficava pedindo pelo cinturão interino e age como se tivesse me vencido. Eu venci ele por quatro rounds. E a única razão para ele ter vencido um round foi um knockdown. Gosto dele, mas... Ele desafiou (Luke) Rockhold depois de ele ser nocauteado. É irritante - afirmou Cormier, que venceu Gustafsson em 2015, pelo UFC 192, na decisão dividida dos jurados.

Quer ficar por dentro do mundo da luta? Clique e acesse o site da TATAME!