Chute alto em Holm consolidou Amanda como a maior de todos os tempos no MMA (Foto Getty Images)

Chute alto em Holly Holm consolidou Amanda Nunes como a maior de todos os tempos no MMA (Foto: Getty Images)

TATAME
08/07/2019
14:10
Las Vegas (EUA)

O chute alto é uma das principais armas de Holly Holm em sua trajetória no MMA, no entanto, no último sábado (6), pelo UFC 239, a norte-americana sofreu do próprio veneno contra a campeã Amanda Nunes. A brasileira, sete meses após conquistar o título dos penas contra Cris Cyborg, retornou ao peso galo para defender o posto de rainha. Após a luta, em entrevista coletiva, a “Leoa” disse que o chute foi treinado na semana do combate junto com a noiva Nina Ansaroff e o professor Katel Kubis da American Top Team.

- Honestamente, eu e meu técnico, Katel Kubis, treinamos isso há muito tempo. E nessa semana, eu e Nina treinamos isso no hotel. Eu pensei que eu podia pegá-la com esse chute. Foi algo que eu não tinha mostrado, mas tive a chance nesta noite. Eu achei que ela fosse mover bastante, mas ela ficou muito parada. Eu tive que usar meu plano B. Meu plano era caçá-la, mas foi melhor pra mim o jeito que ela apareceu nesta noite. Ela ficou plantada na minha frente - destacou a brasileira, que nocauteou no primeiro round.

Ainda empolgada com feito de sábado, quando aumentou sua lista de vitórias sobre ex-campeãs do UFC, como Germaine de Randamie, Valentina Shevchenko (duas vezes) – ela é a atual campeã peso-mosca -, Miesha Tate, Ronda Rousey e Cris Cyborg, Amanda acredita que o seu próximo compromisso será para defender o título dos penas. Com isso, disse que pretende enfrentar a vencedora de Cyborg x Felicia Spencer, que lutam no UFC 240.

- Como eu disse em todas as minhas entrevistas esta semana, trata-se de continuar fazendo história. Continuo provando que sou melhor que todas as garotas da minha divisão. Mais uma vez esta noite, eu provei isso - apontou Amanda, afirmando que vem se divertindo com o momento que vive na carreira e deu dicas para as jovens lutadoras.

- Estou muito feliz com a minha vida. Eu continuo repetindo a mesma coisa. É um passeio divertido, sabe? Minha vida tem sido um passeio divertido de assistir. A mensagem que eu deixo para todas as meninas que querem começar a fazer o MMA é acreditar em si mesmo. Treine com os melhores. Encontre a melhor academia para começar a fazer isso.

Amanda tem 11 vitórias pelo UFC e em apenas duas oportunidades não nocauteou ou finalizou, que foi contra Valentina Shevchenko. A quirguistanesa, que depois viria a se tornar campeã peso-mosca, afirma veementemente que não perdeu nenhuma das lutas. Ao ser indagada se uma trilogia com “Bullet” fazia parte dos seus planos, a brasileira garantiu que “venceu bem” os dois encontros e que não tem mais nada para fazer contra a rival.

- Eu sou a melhor de todos os tempos. Ela teve duas chances. Em nenhuma das duas ela provou nada. Você assistiu à luta? Eu acho que já passou. Vamos ver nosso próximo passo daqui pra frente. Talvez eu quis fazer cinco rounds, sou obrigada a finalizar toda luta? Eu queria isso. Eu queria chegar a todos os rounds com uma menina duríssima como ela para me testar. Já vi e revi as duas lutas com meus técnicos, e eu venci muito bem - concluiu.