Vinícius Faustini
15/03/2019
07:00
Boa Vista (RR)

Enquanto os principais estaduais do país já apresentam suas primeiras emoções, sobra expectativa pelo início do Campeonato Roraimense. Depois de ter passado por obstáculos na tabela, como desistências, uma inusitada "substituição" de clubes e um adiamento de uma semana, a competição finalmente terá início neste sábado: 

- Tivemos de adiar devido à questão do laudo da liberação do Corpo de Bombeiros para o Estádio Ribeirão, onde vão ser realizadas todas as partidas. O outro estádio, o Roberto Marinho, seria muito longe. Ainda houve clubes que desistiram neste meio do caminho... - afirmou, ao LANCE!, Zeca Xaud, presidente da Federação Roraimense de Futebol (FRF).

O dirigente contou como tem sido o desafio da Federação para que os clubes façam uma competição de qualidade a cada ano:

- É, aos clubes falta dinheiro. Não temos uma profissionalização muito grande. A maioria aqui depende de ajuda de empresários, de incentivos e, em meio a esta crise, é complicado. Mas a Federação tenta ajudar da melhor maneira possível para que o Estadual seja um grande campeonato.

DO RIVER PARA O NÁUTICO: A INUSITADA 'TROCA DE CLUBES'

Elenco atual Náutico-RR (Foto: Arquivo Pessoal)
Náutico 'herdou' elenco do River. Com direito a Max 'Ceni' no time (Foto: Arquivo Pessoal)

A edição de 2019 prometia um momento histórico para o futebol de Roraima. Campeão estadual por três vezes, o River teve a aposta de investidores e retomaria suas atividades após longos 11 anos de ausência nos gramados. No entanto, questões de documentação aliadas ao Carnaval trouxeram uma mudança de planos.

- Como o River é um clube que há muitos anos estava fora no cenário profissional de Roraima, tinha algumas pendências com a CBF. Teríamos até condições de resolver este problema administrativo e disputar a competição com o River. Mas, devido ao Carnaval, a documentação de todos os jogadores vigentes no BID da CBF seria mais arriscada a resolver - afirmou o empresário Patrick Souza. 

A solução diante deste dilema foi um pouco curiosa:

- Como o Náutico tinha acenado com problemas financeiros e não participaria da competição, nós sentamos com o dirigente e acertamos com ele. Em reunião, inclusive na Federação Roraimense, asseguramos que, se os problemas administrativos do River não fossem resolvidos, os jogadores contratados por nós iriam todos para o Náutico. E com isto, vamos para lá, são os mesmos atletas, a comissão técnica, a mesma estrutura.

'Mudou o escudo, mas a equipe é a mesma', diz Max 'Ceni', goleiro do Náutico-RR 


Mandatário do Urubu, Adroir Bassorici detalhou com foi esta "ida e volta" do clube na competição:

- Desde que estou à frente do Náutico, busquei fazer times bastante competitivos. Estávamos montando uma boa equipe mas, na última hora, nosso parceiro saiu. Eu acenei com a possibilidade da gente desistir da competição, mas deixei em aberto uma futura parceria. Como vi que o River não conseguiu a documentação a tempo, conversei com eles (os empresários que estavam no River). Afinal, o Náutico não iria abrir mão de uma estrutura que já estava pronta para o Estadual! Tenho certeza que a gente chegará bem forte.

Um dos jogadores contratados, Max Ricardo revela que se surpreendeu com a situação, mas nega que o elenco tenha passado por algum impacto:

- É, isso pegou a gente meio de surpresa. Mas não afetou o grupo não. Esta situação foi da troca do clube, de questão de documentos... A equipe é a mesma, só trocou o escudo. Graças a Deus, a gente estreia sábado, o trabalho está mantido, estamos com um grupo forte, rodado, e focados para a estreia contra o Baré. 

O goleiro ainda contou sobre o curioso apelido de Max "Ceni", que recebeu em referência ao atual técnico Rogério Ceni:

- É uma marca que carrego do grande ídolo. Desde pequeno me espelhava no Rogério Ceni,. O treinador que me lançou viu essa qualidade em mim e me apelidou de Max Ceni. Mas, claro, nunca vou chegar perto dele, quero alcançar meus objetivos. Só sei que, neste ano, vamos ter muitos lances lá no Náutico nos quais vou usar os pés, fazer lançamentos e espero fazer um bom trabalho nas nossas apresentações.

ACUSAÇÕES E FALTA DE RECURSO: AS DESISTÊNCIAS DO ESTADUAL

Progresso-RR(Divulgação)
Progresso-RR e Real desistiram da competição (Divulgação)

Já outros dois clubes esbarraram na questão financeira e desistiram da disputa do Estadual. Do lado do Progresso, o mandatário José Tarquínio Melo, dispara acusações contra Alexandre Lindner, que foi gestor do clube na edição de 2018:

- Ano passado chegou esse tal de Alexandre aqui, esse vagabundo. Disse que ia "bancar" o Progresso, tudo... Trouxe jogadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, de todos os cantos. O Progresso jogou a primeira partida e, logo depois, esse cara pegou o avião e sumiu. Aí ficaram dívidas para o Progresso pagar. E eu não tinha assinado nenhum contrato, quem assinou foi ele, se responsabilizando por tudo.


Segundo o presidente do Verdão de Mucajaí, a situação delicada trouxe sequelas para esta edição:

- Ele abandonou o time com 22 jogadores para eu segurar, com almoço e jantar todos os dias, é difícil! Montar time no ano seguinte, não tem nem como... Se a gente formasse o time para o Estadual deste ano, ia ter mais dívida ainda. Não daria nem para pagar a dívida que eu já tenho.  

Mandatário do Progresso diz que clube sofre sequelas de calote ocorrido no Estadual anterior


No Real, o presidente Leomar da Silva também confessou que a falta de recursos pesou para a equipe desistir do Campeonato Estadual:

- A empresa não mostrou confiança no investimento de patrocínio e, de última hora, não seria possível montar uma nova estrutura com investimentos e elenco próprios.

O dirigente contou que os recursos ficariam ainda mais pesados devido aos deslocamentos que a disputa do Roraimense exigiriam:

- Além de  alojamento e alimentação, precisaríamos de transporte e estadia em Boa Vista. E nós somos de São Luiz, que fica a 320km da capital, uma cidade que não tem empresas ou patrocínio local, pois o município é pequeno. Esperamos ter parceiras com mais seriedade no futuro.

FRANCO FAVORITO, SÃO RAIMUNDO LUTA PELO TETRA

São Raimundo-RR 0x0 América-MG - 13/2/2019
'É um campeonato à parte, onde a gente tem de se mostrar fortes' (Daniel Hott / América

Em campo, o São Raimundo ostenta o posto de favorito. Atual tricampeã, a equipe é a única que já entrou em campo para partidas oficiais no ano (o empate em 0 a 0 com o América-MG, que custou sua eliminação na Copa do Brasil). Treinador da equipe, Chiquinho Viana contou como tem sido a rotina do elenco: 

- Estamos desde o dia 6 de janeiro trabalhando, mas visamos inicialmente primeiro o jogo da Copa do Brasil. Aí depois disto, a gente se voltou neste tempo todo para o Roraimense. Mas, todos os anos, eles têm um argumento para adiar a competição e isto atrapalha a gente também, que tem de disputar outro torneio no ano - falou sobre o fato do clube disputar a Série D.

'Todos os anos têm argumento para adiar a competição', questiona Chiquinho Viana


O treinador também questiona a maratona com a qual os clubes de Roraima lidam ano após ano:

- Como tem data obrigatória para terminar o período de estaduais, "acelera" demais a competição - disse e, em seguida, cobrou atenção ao elenco do Mundão na busca pelo tetracampeonato:

- É um campeonato à parte, onde a gente tem que se mostrar forte. Temos de ter muito cuidado, de estar firmes. Mas a gente está bem tranquilo. Nosso objetivo é o título, não temos outra alternativa.

Mandatário do Mundão, Sérgio Caranguejo destaca a importância da luta pelo tetracampeonato:

- Nosso objetivo em seguir com esta hegemonia é manter recursos. Nós temos um CT com boas condições, conseguimos montar sempre uma boa equipe. E isto não é feito sem patrocínios, sem recursos. 

GAS: DO IMPROVISO À BUSCA POR ASCENSÃO

GAS x Náutico (Foto: Arquivo Pessoal)
GAS quer chegar ao nível nacional (Foto: Arquivo Pessoal)

Primeiro adversário do São Raimundo, o GAS destaca-se por sua evolução. A equipe, que alguns anos atrás era "saco de pancadas", vem brigando pelas primeiras colocações nas últimas edições do Estadual:

- Antigamente, o time estava meio abandonado. O técnico tinha quase todas as funções. Como meu avô fundou o clube, decidi tomar a frente, montamos uma gestão e estamos agora fazendo um trabalho bom, a ponto de termos carisma, de ganharmos torcida, evidência... A gente conseguiu montar uma estrutura, temos o apoio da Prefeitura de Caracaraí e espero que a gente faça uma boa competição - detalhou o mandatário Jander Cavalcante.

O técnico Antonino Moreira não esconde que o duelo com o São Raimundo trará uma prova de fogo para as ambições do Leão Dourado na temporada:

- É um jogo muito importante, porque teremos do outro lado a equipe que venceu os últimos três títulos estaduais. E a gente colocar o GAS para disputar as competições não só estaduais, como também a Série D e a Copa do Brasil.

Aos seus olhos, o Grêmio Atlético Sampaio já está em condições de desbancar o Mundão:

- A gente vem com uma equipe muito mesclada, com muitos atletas de outros estados, mas precisamos mostrar que estamos em condições para brigar pelo título estadual.

UM RIBEIRÃO DE HISTÓRIAS

Estádio Ribeirão - Boa Vista (Divulgação)
Neste primeiro turno, estádio abrigará rodadas sempre às terças e sábados (Divulgação)

Caberá a Rio Negro e Atlético Roraima darem o pontapé inicial dos embates do Campeonato Roraimense neste sábado às 18h (de Brasília), no Estádio Ribeirão. Dirigente do Galo de Roraima, Claudio Santos contou como foi o desafio de buscar jogadores para a competição:

- Nós trouxemos uma mescla de jogadores do Maranhão, de Pernambuco, de Sergipe... Estamos com novas diretrizes para montar um time bem competitivo.

O técnico Jonas Manu destaca a qualidade do Rio Negro na briga pelo Estadual, mas espera um duelo intenso na estreia da equipe:

- Estamos muito unidos, vemos muita humildade no elenco. Mas sabemos que vamos enfrentar uma dos times mais tradicionais, que é o Atlético Roraima, o maior campeão da era profissional do estado e que monta sempre grupos competitivos.

'Catadões' vão desde atletas locais a jogadores de todos os cantos do país


Do lado do Atlético Roraima, o mandatário Carlos Alberto também mostra confiança no elenco para a temporada:

- A gente faz o que pode. Queremos montar um time bom, de competição, para disputar bem o Estadual e da Série D. Com jogadores bem fortes.

O dirigente reconhece que o Tricolor da Mecejana passa por limitações para montar seu elenco:

- Fazer futebol no Atlético Roraima é muito difícil. Nós mantivemos basicamente jogadores que foram vice-campeões estaduais no nosso elenco do ano passado. Só temos os recursos da Federação, não contamos mais sequer com o apoio da Prefeitura de Boa Vista.

No Baré, que encara o Náutico no duelo das 20h (de Brasília) de sábado, a opção por atletas oriundos do estado garantiu a equipe no Estadual:

- Alguns empresários se reuniram e fizeram este projeto de formar um grupo de atletas que são só daqui a Roraima mesmo. Até por questão de transferência, de traslado... Foi aí que me chamaram para fazer parte do projeto. O pessoal "comprou" a ideia e tentaremos fazer uma boa participação - afirmou o treinador Fábio Luiz, que mostra confiança no elenco:

- É um grupo bem concentrado, sólido, que vai se empenhar bastante para fazer o seu papel.

Na luta dos clubes por mais força no cenário nacional, a bola começa a rolar no Campeonato Roraimense neste sábado.