Coletiva - Suíça

Lichtsteiner e Vladimir Petkovic  falaram com a imprensa neste sábado (Foto: KHALED DESOUKI / AFP)

Marcio Porto
16/06/2018
10:27
Enviado especial a Rostov (RUS)

Às vésperas da estreia na Copa do Mundo, Stephan Lichtsteiner, capitão da Suíça, contou o que sua seleção irá precisar fazer para buscar um resultado positivo contra o Brasil, neste domingo, às 15 horas, em Rostov. Ciente de todas as dificuldades que sua equipe encontrará, o suíço ainda reconheceu a qualidade e capacidade de Neymar. E imaginando que o camisa 10 da Seleção Brasileira estará em um grande dia, o lateral revelou qual será o recurso utilizado para tentar pará-lo.

- Acho que é praticamente impossível neutralizar o Neymar totalmente em 90 minutos. Depois do Ronaldo e do Messi, é o melhor jogador, o mais completo. É impor nossa forma de jogar, nossa força. Usar os laterais como arma. Temos que ser muito coesos como equipe e fechar os espaços - afirmou o jogador.

O técnico Vladimir Petkovic também falou com a imprensa e demonstrou preocupação com a ótima qualidade da Seleção Brasileira, mas além de enaltecer o time comandado por Tite, Petkovic disse que a Suíça vai procurar jogar no mesmo nível de seus adversários durante a Copa do Mundo.

- Eu comecei a estudar o Brasil, não falei com meus jogadores sobre isso ainda. É uma equipe muito boa, teve um rendimento muito bom nos últimos anos, joga de modo mais europeu que antes e os resultados mostraram isso. Merece muito respeito da nossa equipe, mas, eu me preocupo primeiro com minha seleção. A minha equipe, e a gente tenta desenvolver nosso jogo de nossa parte. Viemos aqui não só para jogar jogos bonitos como contra o Brasil, mas como qualquer adversário - concluiu.

Quando perguntado sobre um possível favoritismo brasileiro, Petkovic disse que, para ele, o empate neste domingo não será considerado um bom resultado.

- A gente sempre vai tentar o máximo de resultado e o máximo é uma vitória, é o que vamos tentar. Seja qual for o adversário. Nesse momento, acho que temos de aceitar, nossos pensamentos são um pouco mais elevados que o empate - disse o treinador, que completou:

- É outro nível, outro jogo. Corrigimos nossos erros, reagimos. Nos últimos 21 jogos, perdemos só um. Acho que a equipe cresceu também do ponto de vista psicológico e acho que vamos compensar isso.