Equipe feminina do Tricolor vai jogar a elite do vôlei na próxima temporada (Foto: Reprodução Twitter)

Equipe feminina do Tricolor vai jogar a elite do vôlei na próxima temporada (Foto: Reprodução Twitter)

RADAR/LANCE!
31/03/2016
17:06
Rio de Janeiro (RJ)

Classificados para a Superliga 16/17 através do torneio seletivo, Fluminense (RJ) e Juiz de Fora Vôlei (MG) adotaram um discurso realista em relação à principal competição do voleibol nacional. Agora, os clubes esperam contar com mais investimentos  para que a próxima  edição da competição seja ainda melhor. 

- Faremos reuniões no clube para planejar nossa participação na Superliga. Com o grupo que disputou a Superliga B, temos uma base formada. Precisaremos de reforços pontuais, mas contrataremos com os pés no chão. O Fluminense tem um departamento de marketing competente, que vai nos ajudar a viabilizar a participação na próxima Superliga, talvez através de um novo patrocinador - disse o técnico Hylmer Dias, da equipe Tricolor. 

O Fluminense obteve vaga na Superliga Feminina ao conquistar, no último domingo (27.03), o torneio seletivo, que contou com a participação de São José dos Pinhais (PR), Renata Valinhos Country (SP) e São Bernardo Vôlei (SP). O Tricolor carioca, que foi vice-campeão da Superliga B, mostrou força ao superar dois adversários que disputaram a divisão principal (Valinhos e São Bernardo).

Já o Juiz de Fora garantiu, na última quarta-feira (30.03), a permanência na Superliga Masculina ao vencer o torneio seletivo, que teve a participação de Copel Telecom Maringá Vôlei (PR) e UPIS (DF). O time mineiro terminou a divisão principal na última colocação, com apenas três vitórias em 22 jogos, mas se superou em busca da vaga na próxima edição. Para o técnico  Alessandro Fadul, o sonho de chegar aos playoffs da Superliga é algo que dependerá dos novos reforços e da manutenção da base que a equipe conseguiu consolidar nesta temporada. 

- Ainda é cedo para saber o quanto poderemos investir, se vamos conseguir manter os principais atletas. Esperamos que possamos manter o projeto, voltando a ter investimento no patamar que tínhamos. É um sonho da cidade ter um time que possa lutar por vaga nos playoffs. O ideal é manter a base e reforçar em posições carentes para que nosso time se torne mais competitivo. Acredito no potencial dos gestores do projeto e da cidade - concluiu o treinador. 

Será a primeira vez que o Fluminense disputará a Superliga Feminina, enquanto o Juiz de Fora participará da Superliga Masculina pela sexta vez. A temporada 16/17 começará no segundo semestre. A data ainda não foi divulgada.