Volei - Brasil x Japão

Zé Roberto orienta jogadoras durante a partida contra o Japão (Foto: Divulgação/FIVB)

Jonas Moura
10/06/2016
17:16
Rio de Janeiro (RJ)

A Seleção Brasileira feminina de vôlei teve mais um teste importante na jornada do técnico José Roberto Guimarães para definir as 12 jogadoras que estarão nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto, quando o país tentará o tri.

Nesta sexta-feira, o time venceu o Japão por 3 sets a 0, na Arena Carioca 1, e agradou ao comandante depois de uma estreia vitoriosa no Grand Prix, mas com pouca atitude contra a Itália. O destaque em quadra foi Thaisa, que iniciou a partida no lugar de Fabiana e fez 19 pontos.

O resto do grupo foi o mesmo que começou o duelo anterior, mas, desta vez, o treinador deu chance para a ponteira Mari Paraíba e a central Adenízia, que entraram no terceiro set. Ele elogiou o sistema defensivo e fez boa avaliação das reservas, mas destacou que é cedo para definir quem estará na Rio-2016.

– Não podemos trabalhar o tempo inteiro com 18 jogadoras. Teremos de reduzir, mas tem muito para ver ainda. Eu não descarto nada. Hoje mesmo, pensei em usar a Natália como oposto – afirmou o treinador, que não especificou quando fará novos cortes (ele precisa fazer seis).

– Pode ser para frente ou agora. Não sei. Temos de pensar – afirmou.

Ele espera sanar algumas dúvidas nas próximas rodadas. Mari Paraíba acredita que corre por fora, pois as quatro favoritas hoje são Natália, Fernanda Garay, Jaqueline e Gabi. Para ela, a briga maior é com Jaque, pela semelhança de estilo, já que ambas são ponteiras com qualidade na recepção e defesa.

Após o jogo, o comandante alertou sobre a versatilidade da paraibana, que poderia até ser convocada como quinta ponteira. Neste caso, Natália seria aproveitada na função de oposto, posição atualmente ocupada por Sheilla e Tandara. 

- A Mari Paraíba é uma jogadora que pode nos dar até a opção como líbero.

Já Adenízia, que marcou quatro pontos logo ao entrar na partida contra as japonesas, com alto aproveitamento, trava disputa com Juciely e Carol. A última não joga a etapa brasileira devido a uma torção no tornozelo esquerdo.

O próximo desafio da Seleção é neste domingo contra a Sérvia, às 10h05.

– Não acredito que foi perda de foco (na estreia), mas demos uma balançada. Faltou atitude. Hoje, mostramos que podemos fazer completamente diferente, em atitude e vibração. O Zé abriu nossos olhos para isso – disse Thaisa.