Sesi-SP exibe camisa com propaganda de cunho político da Fiesp (Foto: Eduardo Viana/CBV)

Murilo e Escadinha, do Sesi-SP, exibem camisa com propaganda de cunho político da Fiesp (Foto: Eduardo Viana/CBV)

Felipe Domingues e Jonas Moura
09/01/2016
07:50
São Paulo (SP)

Propaganda de cunho político nas camisas de times esportivos sempre foi um tema polêmico. No ano passado, as equipes de vôlei do Sesi-SP atuaram em alguns jogos com os dizeres “Não vou pagar o pato” estampados nos uniformes, em referência a uma campanha contra o aumento de impostos e a volta da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras). Resultado? Receberam advertências da Confederação Brasileira de vôlei (CBV).

Pelo “Item 5, subitem 5.1 do Anexo II – Uniformes” do regulamento da Superliga, não é permitida “publicidade de produtos que sejam prejudiciais à saúde e nem de caráter discriminatório ou político”.

Em 2015, os times masculino e feminino do Sesi-SP (adultos) fizeram duelos no Paulista e na Superliga estampando na camisa a campanha da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), presidida pelo candidato ao governo paulista nas duas últimas eleições (2010 e 2014), Paulo Skaf.

Porém, a CBV confirmou à reportagem do LANCE! que só nos confrontos contra o Rexona-Ades (feminino), no dia 15 de dezembro, e Brasil Kirin (masculino), no dia 21 do mesmo mês, os relatórios dos delegados dos jogos apontavam a “propaganda” no uniforme.

De tal modo, em uma nota oficial, a entidade preferiu somente advertir as agremiações. No caso de reincidência do uso da expressão, porém, não há nenhum tipo de punição prevista, e o caso teria de ser discutido posteriormente.

Em sua página oficial no Facebook, o Sesi chegou a veicular alguns vídeos em que seus atletas reiteravam o apoio à campanha.

O L! entrou em contato com a assessoria de imprensa do clube, que informou que está em recesso até o início da próxima semana, quando, então, informará sua posição.

Essa não é a primeira vez que o Sesi estampa em seu uniforme uma campanha da Fiesp. No começo do ano passado, quando o estado de São Paulo passava por uma crise hídrica, os times de vôlei da entidade jogaram com a frase “Água na medida” na camisa, um projeto para conscientização do uso da água. 

ADVERTÊNCIA ATRASADA
Os times masculino e feminino do Sesi-SP vêm atuando com a campanha “Não vou pagar o pato” em seus uniformes desde o Paulista, passando por alguns duelos da Superliga. A nota oficial da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), porém, só menciona duas partidas no campeonato nacional, em dezembro de 2015.

O motivo disso, segundo a assessoria da entidade, foi a falta da informação nos relatórios dos delegados dos jogos em que a camisa foi utilizada.  Além disso, por conta do recesso administrativo de fim de ano da CBV, entre 19 de dezembro e 3 de janeiro, os relatórios dos jogos contra Rexona-Ades e Brasil Kirin só foram analisados na primeira semana do ano.

O time feminino do Sesi-SP também estampou a campanha (Foto: Divulgação/CBV)
A equipe feminina do Sesi-SP também estampou a campanha contra aumento de impostos e volta da CPMF (Foto: Divulgação/CBV)

ENTENDA O CASO

Fiesp
Em seu site oficial, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) define-se como “a maior entidade de classe da indústria brasileira”. Ela representa cerca de 130 mil indústrias distribuídas em 131 sindicatos patronais.
......................
Presidente
O presidente da Fiesp é Paulo Skaf, candidato ao governo de São Paulo nas eleições de 2010 e 2014, e filiado ao PMDB.
......................
A campanha
“Não vou pagar o pato” é uma campanha da Fiesp e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) contra o aumento de impostos do governo federal e o retorno da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras), taxação extinta desde 2007. Até o fechamento desta edição, 1.055.291 pessoas assinaram o manifesto via internet.

Sesi-SP volta às quadras neste sábado
Após a parada de fim de ano das Superligas Masculina e Feminina, os times estão de volta às quadras. Na primeira rodada do returno, o Sesi-SP, terceiro entre os homens, enfrenta o Canoas (RS), em casa, neste sábado, às 20h (de Brasília). No feminino, a equipe também atua no Ginásio da Vila Leopoldina, às 14h45, contra o Rio do Sul/Equibrasil (SC), pela segunda rodada do returno.

Agora, resta saber se os times cumprirão a solicitação da CBV e irão jogar sem a campanha “Não vou pagar o pato” da Fiesp estampada na camisa.