Ricardo e Emanuel (Foto: Divulgação0

Ricardo e Emanuel farão último torneio juntos no Grand Slam do Rio, nesta semana  (Foto: Divulgação)

Jonas Moura
07/03/2016
13:55
Rio de Janeiro (RJ)

Se entre fãs e personalidades do esporte o anúncio da aposentadoria do campeão olímpico Emanuel já causou comoção, para o grande parceiro do atleta, Ricardo, o sentimento ao saber da notícia pode ser resumido a uma palavra ainda mais impactante: surra.

Ainda sem saber o que fará da carreira, ele só pensa em aproveitar o Grand Slam do Rio de Janeiro, que começa nesta terça-feira e vai até domingo, para se divertir ao lado do parceiro, que disputará sua última competição como profissional na Praia de Copacabana. Aos 42 anos, Emanuel compartilha o mesmo pensamento do amigo.

– Tem sido foi uma comoção grande entre meus amigos e família. Tentei fazer o anúncio uma semana antes para chegar tranquilo e jogar. Mas não é fácil. Será uma competição muito mais emocionante do que qualquer outra. Estou preparado para curtir cada segundo, cada bola, cada abraço. Quero eternizar a memória positiva desta última etapa – disse Emanuel, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, ao lado de Ricardo e das campeãs do Open de Maceió, Duda e Elize Maia.

– Quero curtir ao máximo essa competição. Foi uma surra para todos, para comissão técnica e quem está envolvido no vôlei de praia. Mas é uma decisão que só o atleta tem a coragem de tomar, quando se sente preparado – disse Ricardo, de 41 anos.

– Eu ainda sou meio covarde (risos). Não tive essa coragem (de parar). Não quero pensar no futuro, quero focar neste momento, estar o mais participativo possível, ajudar da melhor forma e curtir também – declarou o baiano.

Sem conseguir a classificação para a Olimpíada do Rio, Ricardo e Emanuel foram escolhidos pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) para serem os reservas imediatos caso alguma das duplas convocadas (Alison/Bruno Schmidt e Evandro/Pedro Solberg) seja impedida de disputar os Jogos.

A aposentadoria não tem volta, de acordo com Emanuel. O caso de Ricardo segue indefinido, tanto no que diz respeito a uma nova dupla quanto sobre a participação do jogador na Seleção Brasileira em 2016. A entidade irá aguardar o fim da etapa do Rio do Circuito Mundial para conversar formalmente com os atletas. Então, anunciará quem serão os reservas.

– Foi uma decisão muito repentina (a aposentadoria do Emanuel). Nós conversaremos com ele após o torneio para tomarmos a decisão. Vai acontecer na semana que vem. Essa era muito especial para ele, e não queríamos tirar o foco – explicou Franco Neto, gerente de Seleções de vôlei de praia da CBV.

O Grand Slam do Rio contará com 32 duplas. Na terça-feira, a partir das 8h, acontece o qualificatório, que classifica oito equipes. Elas se juntarão a outras 24 já garantidas. A chave principal terá início da quarta-feira, no mesmo horário.