André Nascimento, oposto do Montes Claros estará em quadra para o duelo contra o São José (Foto: Divulgação/Rafinha Oliveira/Funvic Taubaté)

André Nascimento, do Montes Claros, é arma contra o São José (Foto: Divulgação/Rafinha Oliveira/Funvic Taubaté)

Jonas Moura
18/11/2015
08:05
Rio de Janeiro (RJ)

Campeão olímpico nos Jogos de Atenas (GRE), em 2004, e seis vezes campeão da Liga Mundial, o oposto André Nascimento não cria expectativas. Mas não desistiu de fazer parte da Seleção Brasileira que disputará a Olimpíada do Rio, no ano que vem.

Sem muita badalação, ele aos poucos volta a roubar a cena. Arranca elogios da diretoria do Montes Claros, líder da Superliga Masculina, e dos torcedores. Sabe que a amarelinha é sonho distante. Mas acorda todo dia cheio de ambições.

– Não me despedi. Está em aberto. Quem sabe? O Bernardinho é um cara muito observador, ainda mais agora, com a Olimpíada. Desejo sempre boa sorte a ele, mas não tivemos contato desde que eu voltei ao Brasil – disse o jogador de 36 anos, ao LANCE!.

André retornou à elite do vôlei com discrição. Após uma experiência no Japão, em 2011, ele dedicou um tempo à família e perdeu ritmo de jogo. Recusou proposta do Canoas e, escondido, disputou a Superliga B de 2013/2014 pelo Voleisul/Paquetá Esportes, que acabaria avançando à divisão principal.

"O pessoal me para bastante. Dizem que sentem falta de me ver na Seleção, que eu não devia ter saído" - André Nascimento, oposto do Montes Claros na Superliga

No ano passado, o atleta foi procurado pelo próprio Montes Claros e pelo Juiz de Fora, mas questões pessoais o afastaram novamente das competições. O tempo passou, mas o gosto pela quadra continua.

– Minha intenção é voltar ao alto nível. Preciso manter a regularidade. Não é fácil, após tanto tempo sem jogar. Podem acontecer altos e baixos. Eu me preocupo com isso.

Invicta, a equipe tenta nesta quarta-feira a quarta vitória na Superliga, contra o São José dos Campos, às 18h15 (de Brasília), no Ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros (MG). E se apega ao seu canhoto.

O Montes Claros já deixou três favoritos ao título pelo caminho na atual temporada: Funvic/Taubaté (3 a 2), Sesi-SP (3 a 2) e Brasil Kirin (3 a 1). O oposto totalizou 44 pontos, com média de 14,6 por partida.

A última competição que André Nascimento disputou com o uniforme do Brasil foi a Olimpíada de Pequim (CHN), em 2008. Depois, pediu um tempo e assistiu à distância ao processo de renovação do time.

Atualmente, as maiores apostas de Bernardinho no posto são Wallace, do Sada Cruzeiro, Leandro Vissotto, do JT Thunders (JAP), Evandro, do Suntory Sunbirds (JAP) e Renan, do Monza (ITA).

Astro gera retorno ao projeto

Apesar do início arrasador na Superliga Masculina, o Montes Claros não pensa em mais do que a classificação aos playoffs.

A diretoria manteve os recursos da edição passada, quando o time ficou em oitavo, mas aumentou sua exposição com a presença de André Nascimento. O orçamento para a temporada é de R$ 1,8 milhão.

– Ganhamos muito em visibilidade com o André. A questão é colocá-lo em boas condições físicas. Ele veio com a família e está totalmente focado – disse o diretor Andrey Souza.

Contatos André Nascimento e Andrey - Moc Vôlei (Foto: Divulgação Funvic/Rafinha Oliveira/Taubaté)
André Nascimento em ação pela Superliga (Foto: Divulgação Funvic/Rafinha Oliveira/Taubaté)


E não é só pelo currículo que o atacante vem agradando ao dirigente. O comportamento dele rende elogios.

– A conduta é exemplar. Imagine um atleta campeão olímpico que não se atrasa para treinar e não reclama de nada. Estamos muito felizes com o desempenho dele – avaliou Souza.

BATE-BOLA
André Nascimento Oposto do Montes Claros, ao LANCE!

‘Temos de pôr os pés no chão’

LANCE!: Como foi o período longe das quadras na última temporada?
André Nascimento: Foi bom por um lado, pois consegui dar uma parada, descansar, curtir a família, mas realmente senti muita falta do ritmo de jogo, de treinos. Mas nunca fiquei sem fazer nada. Batia uma bolinha e cuidava do corpo.

LANCE!: O início do Montes Claros, ao derrubar favoritos, surpreende?
A.N.: É bacana. Vínhamos trabalhando com firmeza. O Campeonato Mineiro nos deu uma boa base de início de trabalho. Mas temos de colocar os pés no chão. Esses começo só valoriza o nosso esforço, mas não decide nada.

LANCE!: Tem algum plano para quando se aposentar? Já pensa em parar?
A.N.: Quero tentar algo dentro do vôlei, mas não pensei ainda. Espero jogar mais dois, três anos. Não tenho o perfil de técnico, mas não podemos dizer não. Talvez, fazer um projeto da minha cidade (São João de Meriti-RJ).

LANCE!: Como o público trata você hoje?
A.N.: O pessoal me para bastante. Dizem que sentem falta de me ver na Seleção, que eu não devia ter saído.

São José tem arma poderosa

Sexto colocado na Superliga Masculina, o São José tenta hoje sua terceira vitória. E se o Montes Claros tem André Nascimento, o time paulista aposta em outro canhoto: o oposto Lorena é o maior pontuador da liga (54 pontos).

Contatos André Nascimento e Andrey - Moc Vôlei (Foto: Divulgação Funvic/Rafinha Oliveira/Taubaté)
André está com 36 anos (Foto: Divulgação Funvic/Rafinha Oliveira/Taubaté)