Ex-presidentes do Vitória, Falcão e Portela (Foto: Francisco Galvão/ Divulgação/ EC Vitória)

Ex-presidentes do Vitória, Falcão e Portela (Foto: Francisco Galvão/ Divulgação/ EC Vitória)

RADAR/LANCE!
16/02/2016
15:27
Salvador (BA)

O Ministério Público Federal resolveu arquivar a investigação de sonegação previdenciária por parte dos ex-presidentes do Vitória, Alexi Portela e Carlos Falcão. A principal causa do arquivamento foi a falta de débito do período.

A própria Receita informou não haver débitos de referentes às administrações dos dirigentes no clube. Carlos Falcão sempre garantiu não existir qualquer irregularidade no seu período como mandatário do Vitória.

A atual diretoria do Rubro-Negro, por meio do site oficial, divulgou uma nota em defesa dos ex-presidentes. O Leão exaltou o pedido de extinção e arquivamento da denúncia pelo Ministério Público e chamou de "lamentável equívoco" as acusações contra os ex-mandatários.

Entenda o caso:
Os ex-presidentes do Vitória, Alexi Portela e Carlos Falcão, teriam sido denunciados na Justiça pelo Ministério Público Federal (MPF), em fevereiro deste ano, por suposta sonegação previdenciária. A ação supostamente corria na 2ª Vara Especializada Criminal de Salvador.

Nota do Ministério Público Federal sobre o caso:
O Ministério Público Federal (MPF) na Bahia esclarece que jamais denunciou os ex-presidentes do Esporte Clube Vitória Alexi Pelágio Gonçalves Portela Júnior e Carlos Sérgio Sampaio Falcão por sonegação previdenciária durante suas respectivas gestões.

O MPF informa que recebeu representação fiscal para fins penais advinda da Receita Federal noticiando sonegação de contribuição previdenciária por parte do Esporte Clube Vitória. No curso da investigação o débito foi quitado, motivando o MPF a pedir o arquivamento do processo investigatório à Justiça, o que resultou no registro do requerimento no sistema de consulta processual do órgão. Desta forma, nunca houve o ajuizamento de denúncia ou ação penal em relação a esse caso.