David Nascimento
13/02/2018
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Uma novela que vem atormentando o Vasco é em relação ao patrocínio master. O clube fechou o contrato para o espaço no uniforme com a Lasa Indústrias Farmacêuticas ainda na gestão anterior de Eurico Miranda por R$ 18 milhões, mas a gestão Alexandre Campello ainda não viu o dinheiro na conta do Cruz-Maltino. Há uma espera até o fim da semana.

– Devemos ter uma posição sobre a Lasa nesta semana. Estamos conversando com outros patrocinadores, que não são master, mas não é interessante revelarmos agora – afirmou o presidente Alexandre Campello.

Na primeira semana de fevereiro, pelo acordo, o Vasco deveria ter recebido R$ 10 milhões da Lasa, o que não aconteceu. Com isso, a estreia da marca no uniforme foi adiada até a solução da questão. Os R$ 8 milhões restantes, pelo acordado, devem ser depositados ao longo do ano. Este atraso não é visto com bons olhos pelos envolvidos no caso.

Existe a expectativa de o contrato da Lasa ser rescindido por descumprimento do acordo. Os advogados do Vasco seguem analisando os termos para decidir o melhor caminho caso o patrocínio não seja efetivado. Outras conversas são feitas pela cúpula de São Januário para minimizar o problema causado pelo atraso de uma solução do caso da Lasa.