Nenê

Nenê em treino físico (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Matheus Babo
18/01/2016
07:00
Pinheiral (RJ)

Existe um ditado de que "panela velha é que faz comida boa". Se formos analisar os primeiros dias da pré-temporada do Vasco, em Pinheiral, ele pode ser aplicado em alguns jogadores do atual elenco. Na equipe que o técnico Jorginho vem utilizando como titular nos primeiros treinamentos do ano, sete dos onze jogadores já passara dos 30 anos. E se o torcedor pensa que isso será um problema por jogadores nessa idade terem um risco maior a sofrer lesões, no Cruz-Maltino os "trintões" foram muito elogiados pela forma como chegaram das férias.

- O Nenê, pela idade, foi maravilhoso a forma como se apresentou, bem demais nos testes de força. O Rodrigo encanta pela biomecânica do corpo, é um jogador que se cuida muito. O Diguinho foi bem, o Andrezinho também não foi o primeiro do ranking, mas é o cara mais equilibrado de todo o elenco. Todos foram muito bem. Houve um equilíbrio maior esse ano, talvez pela cartilha que passamos para ele antes das férias - explica o gerente científico Alex Evangelista.

E esse bom rendimento dos atletas mais experiente também foi destacado pelo preparador físico do time. Joelton Urtiga ressaltou que ter nomes experientes e consagrados num bom nível faz com que os atletas mais jovens também deêm o algo a mais que a preparação física tanto pede nos treinamentos. Urtiga também explica que cada grupo (seja por posição ou idade), recebe um tipo de trabalho diferenciado.

- Os jogadores mais velhos têm servido de exemplo para os mais novos. Os que possuem uma idade mais avançada, como Nenê, Rodrigo, Andrezinho, tiveram um trabalho qualificado. O trabalho é voltado para posição deles. Fazemos atividades por setor e o físico vai de acordo com a condição atlética. Nossa filosofia de trabalho busca a qualidade e não a quantidade. Temos feito trabalhos físicos e técnicos. Sábado, por exemplo, foi nosso primeiro trabalho de finalização - explicou.

Jogador mais jovem do time que vem treinando como titular nestes primeiros dias, o jovem Mateus Pet, de 17 anos, mostra que ver os mais experientes tão bem fisicamente faz com que os meninos recém-promovidos aos profissionais corram ainda mais:

- Olhar o Andrezinho com 32 anos na forma física que ele está. O Nenê com 34 é o primeiro jogador a dar o bote. É uma responsabilidade ainda maior para mim e para os meninos da base. Correr ainda mais.