Vasco x Santos - Redução Mobile

Arbitragem foi muito criticada pelos jogadores na partida da Copa do Brasil (Foto: LANCE!)

LANCE!
24/10/2016
15:16
Rio de Janeiro (RJ)

Nesta segunda-feira, o STJD julgou o Vasco por conta da confusão no jogo contra o Santos, pela Copa do Brasil. Dentro de campo, nenhum problema para Jorginho, visto que Rodrigo e Andrezinho receberam apenas uma advertência. Fora dele, multas. Eurico Brandão, filho e assessor especial do presidente cruz-maltino, Eurico Miranda, não escapou de punição: ele foi suspenso por 15 dias e multado em R$ 2,5 mil. O clube também recebeu multa, de R$ 5 mil.

Andrezinho foi enquadrado por praticar jogada violenta no lance de sua expulsão, quando acertou Luiz Felipe, do Santos. Rodrigo - expulso depois da partida - e Euriquinho foram denunciados no artigo 243-F: "Ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto". Com os jogadores, nenhum problema e aptos para enfrentar o Avaí nesta quarta-feira.

Com o filho de Eurico Miranda, a situação foi diferente. De acordo com a súmula do árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima, o dirigente chamou o quarteto de arbitragem de ladrões, disse que o mundo dá voltas e que eles se encontrariam pelos aeroportos. Por isso, a multa e suspensão de 15 dias.

O Vasco, por sua vez, respondeu por infração ao artigo 213, inciso III: "Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo". A pena variava entre multa de R$ 100,00 e R$ 100.000,00.

Naquele empate de 2 a 2 pelas oitavas de final da Copa do Brasil, os vascaínos reclamaram muito da arbitragem por conta de uma possível falta não marcada em Douglas na origem do segundo gol do Santos.