Rodrigo concedendo entrevista coletiva

Rodrigo vem sendo importante pilar da defesa do Vasco nesta temporada

Felippe Rocha
11/11/2015
20:02
Rio de Janeiro (RJ)

A clara evolução do Vasco no Campeonato Brasileiro mudou o clima no clube. Apesar de ainda estar na zona de rebaixamento, a fuga já é algo palpável. Talvez por isso o zagueiro Rodrigo não teve vergonha de ser franco. Nesta quinta-feira, ele lembrou alguns detalhes do jogo que, para ele, deu novo ânimo à equipe, que já esteve a 13 pontos de sair do Z4, e, hoje, está a três pontos do objetivo.

- Eu coloco na culpa na parte técnica de cada jogador. Depois do Estadual, houve algumas mudanças, jogadores se machucaram, adversários difíceis... Mas tivemos pancadas muito forte. Não perdíamos de 1 a 0. Era de 4, 3 a 0. Isso vai tirando a confiança. Na chegada do Celso Roth, ele tinha que fazer o time jogar, mas não tinha tempo. Era uma pancada atrás da outra. O momento em que chegamos no fundo do poço foi contra o Internacional. Não vou entrar em detalhes porque vestiário é coisa nossa. Mas falamos do outro, falamos coisas de nós mesmos... É difícil assumir a bronca. Ali eu vi que ia ter volta. Foi bacana. Ali foi virada. Fora de campo, a nossa atitude, além do desempenho dentro de campo - explicou.

O zagueiro foi além. Questionado sobre que detalhe ele queria evitar, recordou o ambiente do vestiário, que foi de um longo silêncio a palavras emocionadas de um dirigente.

- No nosso vestiário, muitas vezes cada um faz uma coisa. Vi todo mundo sentado no seu armário, um silêncio absurdo depois do jogo. Não sei o que passava na cabeça de cada um. Em seguida, fomos para a nossa oração, mas ela não saía. Todo mundo esperava o outro falar. Até que o nosso vice-presidente (de futebol, José Luis Moreira), emocionado, falou que não dava para continuar assim, que era vergonhoso para ele e para nós (jogadores), e depois um começou a falar com o outro. A partir dali as coisas mudaram. Começamos a ganhar e, hoje, estamos com boa chance de sair. Se não sairmos, vamos estar juntos com o primeiro para sair. A equipe aprendeu muito. Não foi rápido, mas foi em sintonia. Hoje a galera está empenhada - percebe.

Rodrigo, assim como todo o grupo, se reapresentou em São Januário nesta quarta-feira. O grupo teve dois dias de folga, após a vitória sobre o Palmeiras, e o próximo jogo é somente na quinta-feira da semana que vem, contra o Corinthians.