Rodrigo concedendo entrevista coletiva

Rodrigo é, atualmente, o capitão do Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

LANCE!
18/11/2015
10:20
Rio de Janeiro (RJ)

Rodrigo tem várias características que a torcida gosta em um zagueiro: líder, valente, bom de bola e polêmico. Talvez, por causa do último, teve alguns atritos com os vascaínos, mas atualmente o clima é de paz. Amanhã,será até de comemoração. Afinal, na reta final da segunda temporada em São Januário, o defensor vai completar cem jogos pelo clube.

A marca, aliás, será alcançada em um jogo que simbólico para o ano do Vasco. O duelo com o Corinthians, que pode ser campeão até em caso de derrota – desde que o Atlético-MG não vença o São Paulo – é daqueles que dá um frio na barriga de quase todo mundo. Mas, ao que parece, não para Rodrigo.

– Tive momentos bacanas aqui. Jogos intensos, finais, alguns Vasco x Flamengo, jogos que foram inesquecíveis... É um clube que me identifiquei bastante. Me identifiquei com a torcida, acho que pelo meu jeito de jogar. A conquista desse ano foi bacana, primeiro título com o Vasco. Coloco esse jogo como o mais inesquecível. E, agora, vou completar cem jogos dentro de São Januário, um jogo forte, que é a minha cara. Vou gostar de receber (a camisa 100). Se ganhar, coloco-a logo (risos) - comentou.

Em julho deste ano, Rodrigo teve o contrato renovado com o Vasco até o fim de 2017. Aos 35 anos, o atual capitão cruz-maltino goza de bastante prestígio com a diretoria, sobretudo com o presidente Eurico Miranda e o filho dele, Euriquinho, homem influente no futebol do clube. Ao que parece, a agressão de um torcedor na véspera do Vasco x Atlético-MG, pela 23 rodada, já é uma página virada.